Jamie Foxx é alvo de racismo em restaurante na Croácia

Ator está no país para as gravações de "Robin Hood: Origens"

Por ,

Jamie Foxx
Fonte: Instagram
A polícia foi acionada e agora investiga o caso

Jamie Foxx passou por uma situação nada agradável em um restaurante na Croácia, no último domingo (19). O ator foi atacado por duas pessoas com comentários racistas e precisou contar com o apoio da equipe no local.

VOCÊ VIU? Homossexual, Evandro Santo desabafa: "Apanhava na escola"

Andressa Urach deixa a Rede Record

Zezé e Wanessa posam abraçados pela 1ª vez após briga

Fontenelle comemora aniversário do filho com Jonathan Costa

No país para as gravações do filme "Robin Hook: Origens", o artista chegou a gravar o momento em que os ofensores eram levados para fora do estabelecimento. O caso já está sendo investigado pela polícia.

Segundo a rede "BBC", autoridades revelaram que os homens foram "particularmente arrogantes e rudes" em seus comentários a respeito de um outro consumidor. Contudo, não citaram o nome de Foxx como vítima.

Jamie Foxx foi alvo de comentários racistas em um restaurante na Croácia - onde grava o filme “Hobin Hood: Origens” . Dois homens foram retirados do local após o ataque e a polícia investiga o caso, segundo a rede
Fonte: Instagram
Jamie Foxx foi alvo de comentários racistas em um restaurante na Croácia - onde grava o filme “Hobin Hood: Origens” . Dois homens foram retirados do local após o ataque e a polícia investiga o caso, segundo a rede "BBC"
Integrante do “Esquenta”, da TV Globo, Luane Dias revelou que foi vítima de ataque racista, no dia 22 de janeiro. As ofensas foram enviadas ao e-mail da Youtuber. No texto, o criminoso usa termos pejorativos à jovem e seus familiares. “Vai, negra, macaca. Sobe em cima de uma árvore da tua família”, dizia um trecho da mensagem
Fonte: TV Globo
Integrante do “Esquenta”, da TV Globo, Luane Dias revelou que foi vítima de ataque racista, no dia 22 de janeiro. As ofensas foram enviadas ao e-mail da Youtuber. No texto, o criminoso usa termos pejorativos à jovem e seus familiares. “Vai, negra, macaca. Sobe em cima de uma árvore da tua família”, dizia um trecho da mensagem
Bruno Gagliasso compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, no dia 16 de novembro. O ator registrou queixa após a filha, Titi, de 3 anos, ser vítima de comentários racistas nas redes sociais.
Fonte: Instagram
Bruno Gagliasso compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, no dia 16 de novembro. O ator registrou queixa após a filha, Titi, de 3 anos, ser vítima de comentários racistas nas redes sociais. "Você e seu marido até que combinam. Mas a criança que vocês adotaram não combinou muito. Porque ela é pretinha e lugar de preto é na África", disse um usuário do Instagram, cujo perfil já foi excluído, na página de Giovanna Ewbank
Dois adolescentes foram apreendidos no dia 1º de outubro, durante uma operação da Polícia Civil de Sorocaba, no inteior de São Paulo Paulo, acusados de terem publicado mensagens racistas contra Preta Gil, em julho deste ano. Além dos jovens, que vão ter que esclarecer a motivação para o crime e responder por ato infracional por crime de injúria, a operação apreendeu computadores e celulares em cidades de 10 estados
Fonte: Instagram
Dois adolescentes foram apreendidos no dia 1º de outubro, durante uma operação da Polícia Civil de Sorocaba, no inteior de São Paulo Paulo, acusados de terem publicado mensagens racistas contra Preta Gil, em julho deste ano. Além dos jovens, que vão ter que esclarecer a motivação para o crime e responder por ato infracional por crime de injúria, a operação apreendeu computadores e celulares em cidades de 10 estados
No dia 26 de julho, Preta Gil usou suas redes sociais para revelar que foi vítima de ataques racistas: “Meu Facebook foi atacado por um grupo intitulado #MM. Estou em estado de choque. Chocante! Racismo é crime. Será que eles não sabem ainda? O mais triste é que a maioria é criança e já com tanto ódio no coração”
Fonte: Divulgação
No dia 26 de julho, Preta Gil usou suas redes sociais para revelar que foi vítima de ataques racistas: “Meu Facebook foi atacado por um grupo intitulado #MM. Estou em estado de choque. Chocante! Racismo é crime. Será que eles não sabem ainda? O mais triste é que a maioria é criança e já com tanto ódio no coração”
Preta Gil foi fotografada deixando a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na Zona Norte do Rio de Janeiro, após denunciar ataques racistas sofridos no Facebook, no dia 26 de julho. Fernanda Fernandes, delegada que está cuidando do caso, disse que a cantora ou um representante dela terá que voltar à delegacia com os perfis de todas as pessoas que a atacaram na rede de relacionamento
Fonte: AgNews
Preta Gil foi fotografada deixando a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na Zona Norte do Rio de Janeiro, após denunciar ataques racistas sofridos no Facebook, no dia 26 de julho. Fernanda Fernandes, delegada que está cuidando do caso, disse que a cantora ou um representante dela terá que voltar à delegacia com os perfis de todas as pessoas que a atacaram na rede de relacionamento
Madrasta de Preta Gil há 37 anos, Flora criticou os internautas que atacaram a cantora em sua página no Facebook em um desabafo no Instagram, no dia 26 de julho. “Injúria por preconceito da cadeia. Por que essa gente que escreve essas coisas não mostra a cara? Covardes! Somos todos Preta Gil”, escreveu a empresária
Fonte: Instagram
Madrasta de Preta Gil há 37 anos, Flora criticou os internautas que atacaram a cantora em sua página no Facebook em um desabafo no Instagram, no dia 26 de julho. “Injúria por preconceito da cadeia. Por que essa gente que escreve essas coisas não mostra a cara? Covardes! Somos todos Preta Gil”, escreveu a empresária
A Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro deve começar em breve a investigar os suspeitos de terem participado do ataque de ódio sofrido por Preta Gil. Segundo a coluna da jornalista Keila Jimenez, a cantora imprimiu parte das mensagens e as autoridades deverão pedir a quebra de sigilo de mais de 100 perfis no Facebook, na tentativa de identificar os envolvidos no crime
Fonte: Divulgação
A Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro deve começar em breve a investigar os suspeitos de terem participado do ataque de ódio sofrido por Preta Gil. Segundo a coluna da jornalista Keila Jimenez, a cantora imprimiu parte das mensagens e as autoridades deverão pedir a quebra de sigilo de mais de 100 perfis no Facebook, na tentativa de identificar os envolvidos no crime
Ana Maria Braga saiu em defesa de Preta Gil no caso dos ataques racistas que a cantora sofreu nas redes sociais, durante abertura do
Fonte: TV Globo
Ana Maria Braga saiu em defesa de Preta Gil no caso dos ataques racistas que a cantora sofreu nas redes sociais, durante abertura do "Mais Você", da TV Globo, no dia 27 de julho. A apresentadora teceu elogios à filha de Gilberto Gil e lançou a campanha "Somos Todos Preta Gil": "Quero mandar um beijo especial e a minha solidariedade à minha amiga Preta Gil, que foi vítima de ataques racistas na internet"
Vítima de ataques racistas nas redes sociais, Preta Gil ganhou o apoio de amigos e familiares. Flora Gil, madrasta da cantora, utilizou o Instagram para mostrar o grupo reunido e postou a hashtag
Fonte: Instagram
Vítima de ataques racistas nas redes sociais, Preta Gil ganhou o apoio de amigos e familiares. Flora Gil, madrasta da cantora, utilizou o Instagram para mostrar o grupo reunido e postou a hashtag "Somos Todos Preta Gil". "Jantar com a família dá nisso. Amigos queridos", escreveu a empresária. A filha de Gilberto Gil, por sua vez, declarou: "Somos puro amor e família. Meus amores, meu suporte"
Lázaro Ramos afirmou ter sido vítima de racismo várias vezes, principalmente antes de ficar famoso, e garantiu que o preconceito é algo corriqueiro na vida de milhões de negros no Brasil. O ator fez o desabafo durante o
Fonte: TV Globo
Lázaro Ramos afirmou ter sido vítima de racismo várias vezes, principalmente antes de ficar famoso, e garantiu que o preconceito é algo corriqueiro na vida de milhões de negros no Brasil. O ator fez o desabafo durante o "Esquenta", da TV Globo: "Muita gente fala que isso é 'mi-mi-mi', que estamos 'reclamando de barriga cheia', que 'não se deve discutir isso'... Não, acho o contrário, deve se discutir, sim"
A cantora Zendaya revelou que foi vítima de racismo em seu Snapchat. A popstar relatou que foi mal tratada por uma vendedora depois de pedir informações a respeito de cartões-presentes em uma loja.
Fonte: Divulgação
A cantora Zendaya revelou que foi vítima de racismo em seu Snapchat. A popstar relatou que foi mal tratada por uma vendedora depois de pedir informações a respeito de cartões-presentes em uma loja.
"Eu não acho que a menina que estava nos ajudando era uma fã do nosso tom de pele. Ela se irritou conosco e jogou minha carteira para cima, com cartões soltos e tudo, dizendo que ‘não tínhamos dinheiro para isso’", detalhou na rede social
Angélica Ramos se tornou mais uma vítima de racismo nas redes sociais. No dia 4 de setembro, a ex-BBB fez a denúncia no Instagram.
Fonte: Instagram
Angélica Ramos se tornou mais uma vítima de racismo nas redes sociais. No dia 4 de setembro, a ex-BBB fez a denúncia no Instagram. "Na data de hoje essa jovem veio no meu insta praticar essa violência racial. Gostaria que esse perfil fosse devidamente punido. Cansada dessas ofensas gratuitas e racistas. Racistas não passarão", escreveu
Juliana Alves foi ofendida, no dia 31 de agosto, após postar no Instagram uma foto em que aparecia com uma blusa na qual estavam escritos os nomes de diversas mulheres negras famosas e influentes. “Por que nas últimas imagens do Insta você não deu opção de opinião, cabelo de vassoura? Você também está mamando na teta do PT? Estrume, rata da barriga preta”, escreveu um seguidor identificado como Rogerio Marcio Oliveira
Fonte: Instagram
Juliana Alves foi ofendida, no dia 31 de agosto, após postar no Instagram uma foto em que aparecia com uma blusa na qual estavam escritos os nomes de diversas mulheres negras famosas e influentes. “Por que nas últimas imagens do Insta você não deu opção de opinião, cabelo de vassoura? Você também está mamando na teta do PT? Estrume, rata da barriga preta”, escreveu um seguidor identificado como Rogerio Marcio Oliveira
Conforme o prometido, MC Carol prestou queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, no Rio de Janeiro, para denunciar os ataques racistas que sofreu nas redes sociais:
Fonte: Instagram
Conforme o prometido, MC Carol prestou queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, no Rio de Janeiro, para denunciar os ataques racistas que sofreu nas redes sociais: "Espero que eles sejam punidos, que a justiça seja feita"
MC Carol revelou que foi vítima de comentários preconceitos, em suas redes sociais. Em seu Instagram, a funkeira desabafou a respeito do assunto e prometeu ir à delegacia para fazer uma denúncia.
Fonte: Instagram
MC Carol revelou que foi vítima de comentários preconceitos, em suas redes sociais. Em seu Instagram, a funkeira desabafou a respeito do assunto e prometeu ir à delegacia para fazer uma denúncia. "Está vendo essa minha cara? Pois é. Essa é minha cara de preocupação quando um bando de gente sem serviço organiza um ataque na minha página com comentários racistas, machistas e homofóbicos", debochou
Juliana Alves revelou que sofre racismo desde a infância. Recentemente, a atriz recebeu mensagens preconceituosas em seu Facebook. No entanto, a artista não quis divulgar o ocorrido e preferiu levar o caso à polícia. “Sou da filosofia de não reproduzir, para não reforçar isso. Quando aconteceu [o racismo] na minha fan page, optei por levar a justiça e fazer uma reunião com a ONG Criola, onde trabalhava, e pensar formas de pressão, no Ministério Público, para que essa questão fosse tratada com mais rigor pela policia
Fonte: Instagram
Juliana Alves revelou que sofre racismo desde a infância. Recentemente, a atriz recebeu mensagens preconceituosas em seu Facebook. No entanto, a artista não quis divulgar o ocorrido e preferiu levar o caso à polícia. “Sou da filosofia de não reproduzir, para não reforçar isso. Quando aconteceu [o racismo] na minha fan page, optei por levar a justiça e fazer uma reunião com a ONG Criola, onde trabalhava, e pensar formas de pressão, no Ministério Público, para que essa questão fosse tratada com mais rigor pela policia", disse à revista “Quem”
Ellen DeGeneres foi alvo de ataques de internautas, no dia 15 de agosto, ao utilizar as redes sociais para compartilhar uma montagem em que aparece nas costas de Usain Bolt, logo após a conquista da medalha de ouro do atleta nos 100m rasos na Olimpíada Rio-2016. Muitas pessoas acusaram a apresentadora norte-americana de ser racista por colocar o jamaicano como seu meio de transporte.
Fonte: Instagram
Ellen DeGeneres foi alvo de ataques de internautas, no dia 15 de agosto, ao utilizar as redes sociais para compartilhar uma montagem em que aparece nas costas de Usain Bolt, logo após a conquista da medalha de ouro do atleta nos 100m rasos na Olimpíada Rio-2016. Muitas pessoas acusaram a apresentadora norte-americana de ser racista por colocar o jamaicano como seu meio de transporte. "Exclua esse lixo racista", ordenou um usuário do Twitter. "Como você ousa?", questionou outro
Integrante da banda Fifth Harmony, Normani Kordei decidiu abandonar o Twitter depois de sofrer ataques racistas. No dia 7 de agosto, a cantora fez um desabafo emocionado na rede antes de desativar o perfil.
Fonte: Divulgação
Integrante da banda Fifth Harmony, Normani Kordei decidiu abandonar o Twitter depois de sofrer ataques racistas. No dia 7 de agosto, a cantora fez um desabafo emocionado na rede antes de desativar o perfil. "Estou dando um tempo no Twitter por enquanto. Depois de quatro anos sendo vista aos olhos do grande público, aprendi a ser forte diante das críticas e daqueles que não gostam de mim. Nunca fui uma pessoa que rejeitou a opinião dos outros, mas nas últimas semanas, em especial nas últimas 48 horas, eu não apenas sofri cyberbullying, como fui agredida de forma racista com tuítes e imagens horríveis carregadas de racismo que não posso mais me submeter a isso", postou
Após ser alvo de comentários racistas na internet, Ludmilla desabafou a respeito do assunto no
Após ser alvo de comentários racistas na internet, Ludmilla desabafou a respeito do assunto no "Fantástico", da TV Globo, no dia 30 de maio. Depois de receber um pedido de desculpas do responsável pelas ofensas, a funkeira garantiu que não perdoa o homem. "Se você joga um copo de vidro no chão, ele vai quebrar. Pede desculpa para ver se ele vai montar de novo. Não vai. Então ele vai pagar lá pelo que ele fez. E eu não quero nem contato com essa pessoa", afirmou
Acusado dos ataques racistas a Ludmilla, Helder Santos prestou depoimento, no dia 24 de maio, na Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro. O empresário assumiu ter feitos as ofensas, mas ressaltou que elas não foram direcionadas à funkeira.
Fonte: Instagram
Acusado dos ataques racistas a Ludmilla, Helder Santos prestou depoimento, no dia 24 de maio, na Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro. O empresário assumiu ter feitos as ofensas, mas ressaltou que elas não foram direcionadas à funkeira. "Foi um grande mal entendido. Assumi o erro, mas não era pra ela, pois sou do bem. Estava sendo xingado pelos fãs. Só quero esfriar a minha cabeça desse mal entendido", disse ao "Ego"
A Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou o homem que postou comentários racistas contra Ludmilla, no Instagram, Helder Santos chamou a funkeira de “criola” e “macaca” na rede social. O homem de 31 anos será convocado para prestar depoimento nos próximos dias, segundo o jornal “Estado de S. Paulo”. O dono do perfil já respondeu a uma acusação por tentativa de homicídio
Fonte: AgNews
A Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou o homem que postou comentários racistas contra Ludmilla, no Instagram, Helder Santos chamou a funkeira de “criola” e “macaca” na rede social. O homem de 31 anos será convocado para prestar depoimento nos próximos dias, segundo o jornal “Estado de S. Paulo”. O dono do perfil já respondeu a uma acusação por tentativa de homicídio
Ludmilla esteve na Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI), no Rio de Janeiro, no dia 23 de maio, para prestar queixa contra um internauta que tem enviado a ela mensagens racistas.
Fonte: AgNews
Ludmilla esteve na Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI), no Rio de Janeiro, no dia 23 de maio, para prestar queixa contra um internauta que tem enviado a ela mensagens racistas. "Ele fazia isso direto e Ludmilla já tinha bloqueado o perfil. O cara foi até uma foto dela postada em outro perfil e fez comentários. Ele já comentou que foi um equívoco, mas não foi. A gente sabe até a academia dele. Já está sendo tudo levado para a polícia", explicou o empresário da artista ao "Ego"
Ludmilla foi vítima de ataques racistas, em seu Instagram, na madrugada do dia 23 de maio. Em sua página, a funkeira compartilhou prints de uma internauta a chamando de
Fonte: Instagram
Ludmilla foi vítima de ataques racistas, em seu Instagram, na madrugada do dia 23 de maio. Em sua página, a funkeira compartilhou prints de uma internauta a chamando de "criola", "macaca" e "nojenta". "Alguma autoridade pode me ajudar a identificar esse homem? Não é a primeira vez que ele faz isso. Já até bloqueei ele, mas ele continua falando essas coisas em outros instas por aí. Que ódio, só quero justiça e mais nada mais. Nessa eu vou até o fim", escreveu em seu Instagram
Ivo Meirelles foi vítima de ofensas racistas, em seu Instagram, no dia 4 de maio. Na rede social, o músico compartilhou o print que mostra uma usuária xingando através de mensagens privadas. Em seu perfil, o cantor se mostrou indignado com os ataques. “Essa filha da p*** vem me atacar gratuitamente e ainda dizem não existir racismo no país. É o fim!
Fonte: AgNews
Ivo Meirelles foi vítima de ofensas racistas, em seu Instagram, no dia 4 de maio. Na rede social, o músico compartilhou o print que mostra uma usuária xingando através de mensagens privadas. Em seu perfil, o cantor se mostrou indignado com os ataques. “Essa filha da p*** vem me atacar gratuitamente e ainda dizem não existir racismo no país. É o fim!", reclamou
Adélia Soares esteve na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na zona norte do Rio de Janeiro, no dia 29 de abril, para prestar queixa depois de ser vítima de ataques racistas em suas redes sociais. A ex-BBB foi vítima de comentários preconceituosos em seus perfis na web e chegou a ser chamada de “macaca” por alguns dos internautas
Fonte: Francisco Silva/AgNews
Adélia Soares esteve na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na zona norte do Rio de Janeiro, no dia 29 de abril, para prestar queixa depois de ser vítima de ataques racistas em suas redes sociais. A ex-BBB foi vítima de comentários preconceituosos em seus perfis na web e chegou a ser chamada de “macaca” por alguns dos internautas
Adélia decidiu entrar na Justiça depois de ser vítima de ataques racistas em suas redes sociais.
Fonte: TV Globo
Adélia decidiu entrar na Justiça depois de ser vítima de ataques racistas em suas redes sociais. "Racismo sempre existiu, mas para mim não era algo tão presente. Acontecia de vez em quando. Agora, depois que fiquei famosa, toda foto que eu posto tem pelo menos 10 comentários racistas. Me chamam de macaca, me mandam voltar para selva, me oferecem banana", criticou ao “Ego”
Luís Miranda se tornou centro de uma polêmica no dia 7 de abril. O ator relatou que foi confundido por um garçom em restaurante da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. O artista chegou a enviar uma mensagem para o casal considerado racista.
Fonte: Facebook
Luís Miranda se tornou centro de uma polêmica no dia 7 de abril. O ator relatou que foi confundido por um garçom em restaurante da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. O artista chegou a enviar uma mensagem para o casal considerado racista. "Não sou garçom, assim como você também não é. Sou cliente, assim como você, mas existem coisas que nos diferem, como por exemplo o seu preconceito! Não poderia ir embora sem te mandar tomar no c*.”
Taís Araújo comentou pela primeira vez a decisão da Justiça de liberar suspeitos dos ataques racistas que sofreu na internet há alguns meses.
Fonte: Rafael Cusato/Brazil News
Taís Araújo comentou pela primeira vez a decisão da Justiça de liberar suspeitos dos ataques racistas que sofreu na internet há alguns meses. "A gente não entende muito bem como funciona a justiça no país. Na verdade, o mais importante é que eles foram identificados, e que eles estão agora sob juízo. Eles estão soltos, mas a qualquer momento podem ser presos. Não é que estão livres de tudo", disse ao "Ego"
Depois de a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) soltar Francisco Pereira da Silva Junior, Pedro Vitor Siqueira da Silva e Thiago Zanfolin Santos Silva – os três acusados de promoverem ataques racistas contra Taís Araújo nas redes sociais –, o Ministério Público e a Justiça do Rio de Janeiro explicaram que a prisão temporária dos rapazes foi vetada, pois as investigações da Polícia Civil terminaram
Fonte: AgNews
Depois de a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) soltar Francisco Pereira da Silva Junior, Pedro Vitor Siqueira da Silva e Thiago Zanfolin Santos Silva – os três acusados de promoverem ataques racistas contra Taís Araújo nas redes sociais –, o Ministério Público e a Justiça do Rio de Janeiro explicaram que a prisão temporária dos rapazes foi vetada, pois as investigações da Polícia Civil terminaram
Francisco Pereira da Silva Júnior, Pedro Vitor Siqueira da Silva e Thiago Zanfolin, os três suspeitos de terem promovido ataques raciais contra Taís Araújo, Sheron Menezzes e Maria Julia Coutinho nas redes sociais - em novembro de 2015 -, foram soltos no último fim de semana.  A 23ª Vara Criminal do Rio de Janeiro determinou que as prisões temporárias fossem transformadas em medidas cautelares. Com isso, os criminosos terão que se apresentar sempre que forem convocados e não podem trocar de endereço sem avisar
Fonte: Karine Basílio/Revista Estilo/Divulgação
Francisco Pereira da Silva Júnior, Pedro Vitor Siqueira da Silva e Thiago Zanfolin, os três suspeitos de terem promovido ataques raciais contra Taís Araújo, Sheron Menezzes e Maria Julia Coutinho nas redes sociais - em novembro de 2015 -, foram soltos no último fim de semana. A 23ª Vara Criminal do Rio de Janeiro determinou que as prisões temporárias fossem transformadas em medidas cautelares. Com isso, os criminosos terão que se apresentar sempre que forem convocados e não podem trocar de endereço sem avisar
Taís Araújo comentou sobre a prisão dos responsáveis por ofensas racistas contra ela e outras famosas da TV Globo, nas redes sociais, no fim de 2015. A atriz disse que ficou satisfeita com o resultado das investigações e espera que o caso não se repita.
Fonte: TV Globo
Taís Araújo comentou sobre a prisão dos responsáveis por ofensas racistas contra ela e outras famosas da TV Globo, nas redes sociais, no fim de 2015. A atriz disse que ficou satisfeita com o resultado das investigações e espera que o caso não se repita. "Fico feliz que a Justiça tenha sido feita. Espero que crimes desse tipo, contra qualquer mulher negra, não fiquem impunes", disse em nota à emissora carioca
Em 16 de março, Alessandro Thiers, delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DCRI) do Rio de Janeiro, afirmou que foram presas cinco pessoas suspeitas de praticar crimes de racismo contra Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho, em 2015. Além disso, foram expedidos 11 mandados de prisão
Fonte: Divulgação/TV Globo
Em 16 de março, Alessandro Thiers, delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DCRI) do Rio de Janeiro, afirmou que foram presas cinco pessoas suspeitas de praticar crimes de racismo contra Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho, em 2015. Além disso, foram expedidos 11 mandados de prisão
Tiago Zanfolim Santos, de 26 anos, foi preso em 16 de março em Brumado, no sudoeste da Bahia. O rapaz é suspeito de praticar crimes de racismo contra Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho no ano passado. O homem foi detido em cumprimento a um mandado de prisão temporária e não resistiu aos policiais. Segundo o “G1”, o suspeito teve o computador e o celular apreendidos
Fonte: Divulgação
Tiago Zanfolim Santos, de 26 anos, foi preso em 16 de março em Brumado, no sudoeste da Bahia. O rapaz é suspeito de praticar crimes de racismo contra Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho no ano passado. O homem foi detido em cumprimento a um mandado de prisão temporária e não resistiu aos policiais. Segundo o “G1”, o suspeito teve o computador e o celular apreendidos
Após ser alvo de ataques racistas nas redes sociais, Taís Araújo voltou a afirmar que é vítima de comentários preconceituosos durante toda a sua vida, em entrevista ao “Altas Horas”, da TV Globo: “Negro brasileiro passa por isso diariamente. É fato, até hoje”
Fonte: TV Globo
Após ser alvo de ataques racistas nas redes sociais, Taís Araújo voltou a afirmar que é vítima de comentários preconceituosos durante toda a sua vida, em entrevista ao “Altas Horas”, da TV Globo: “Negro brasileiro passa por isso diariamente. É fato, até hoje”
Discreto sobre a vida pessoal, Lázaro Ramos se manifestou a respeito dos ataques racistas que sua esposa, Taís Araújo, sofreu recentemente na web.
Fonte: Divulgação/TV Globo
Discreto sobre a vida pessoal, Lázaro Ramos se manifestou a respeito dos ataques racistas que sua esposa, Taís Araújo, sofreu recentemente na web. "Não permitimos que o racismo paute a nossa vida. Esse acontecimento dos ataques virtuais teve o tamanho que tem. A vida continua, a gente tem filhos para criar e muito trabalho", disse à revista “Época”
Teresa Bergher, presidente da Comissão Contra a Discriminação da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, propôs homenagear Taís Araújo com uma moção de louvor após os ataques racistas sofridos pela atriz pelo Facebook, em 3 de novembro. 

De acordo com o “Ego”, a global foi convidada a para participar de uma audiência pública no dia 16 de novembro, para discutir os diversos casos de preconceito e discriminação racial e religiosa
Fonte: Divulgação/TV Globo
Teresa Bergher, presidente da Comissão Contra a Discriminação da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, propôs homenagear Taís Araújo com uma moção de louvor após os ataques racistas sofridos pela atriz pelo Facebook, em 3 de novembro.

De acordo com o “Ego”, a global foi convidada a para participar de uma audiência pública no dia 16 de novembro, para discutir os diversos casos de preconceito e discriminação racial e religiosa
Taís Araújo foi vítima de comentários racistas em seu Facebook, em 3 de novembro, e os ataques à atriz podem ter sido orquestrados pelo mesmo grupo que ofendeu a jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju do “Jornal Nacional”, em julho deste ano.

O coletivo “QLC [sigla para ‘Que Loucura, Cara’] The Return” teria planejado todo o ataque pela web e se vangloriado por não serem pegos ao ofenderem Maju, segundo o
Fonte: TV Globo
Taís Araújo foi vítima de comentários racistas em seu Facebook, em 3 de novembro, e os ataques à atriz podem ter sido orquestrados pelo mesmo grupo que ofendeu a jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju do “Jornal Nacional”, em julho deste ano.

O coletivo “QLC [sigla para ‘Que Loucura, Cara’] The Return” teria planejado todo o ataque pela web e se vangloriado por não serem pegos ao ofenderem Maju, segundo o "Ego"
A Polícia Civil do Rio de Janeiro quebrou o sigilo de cerca de 30 perfis de usuários do Facebook, suspeitos de conexão com os comentários racistas publicados em uma foto de Taís Araújo na rede social. A atriz prestou depoimento sobre o caso na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática.

Os investigadores disseram que as contas são de residentes do Rio e de São Paulo. Segundo autoridades, mesmo que os perfis tenham sido apagados, eles serão encontrados e podem responder por injúria racial
Fonte: Divulgação
A Polícia Civil do Rio de Janeiro quebrou o sigilo de cerca de 30 perfis de usuários do Facebook, suspeitos de conexão com os comentários racistas publicados em uma foto de Taís Araújo na rede social. A atriz prestou depoimento sobre o caso na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática.

Os investigadores disseram que as contas são de residentes do Rio e de São Paulo. Segundo autoridades, mesmo que os perfis tenham sido apagados, eles serão encontrados e podem responder por injúria racial
A polícia acredita que Taís Araújo foi alvo de uma quadrilha racista no Facebook. Responsável pelo caso, o delegado Alessandro Thiers disse que desconfia que os ataques tenham sido realizados por um grupo específico de pessoas.
Fonte: Divulgação/TV Globo
A polícia acredita que Taís Araújo foi alvo de uma quadrilha racista no Facebook. Responsável pelo caso, o delegado Alessandro Thiers disse que desconfia que os ataques tenham sido realizados por um grupo específico de pessoas.

"Há possibilidade de haver uma quadrilha organizada para a prática desses crimes de preconceito. Ou seja, difundindo ódio pela internet. E a Polícia Civil não vai admitir isso", disse em coletiva realizada na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro
Após os recentes ataques de racismo contra Taís Araújo, Aline Prado revelou que também sofreu muito preconceito ao longo da vida. A repórter do “Vídeo Show”, inclusive, relembrou alguns momentos difíceis de sua infância.

“Estudei durante um tempo em colégio particular e era a única negra na sala de aula. As meninas me chamavam de macaca e me excluíam das brincadeiras
Fonte: Instagram
Após os recentes ataques de racismo contra Taís Araújo, Aline Prado revelou que também sofreu muito preconceito ao longo da vida. A repórter do “Vídeo Show”, inclusive, relembrou alguns momentos difíceis de sua infância.

“Estudei durante um tempo em colégio particular e era a única negra na sala de aula. As meninas me chamavam de macaca e me excluíam das brincadeiras", contou ao jornal "Extra".

E continuou: "Quando completei a maioridade, tentei emprego como vendedora de shopping. Fui acompanhada de uma colega loira. Ela foi chamada para sete lojas e eu, que tinha o currículo mais qualificado que o dela, para nenhuma”
Em 4 de novembro, Taís Araújo compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para depor sobre o caso das ofensas raciais recebidas de internautas em seu Facebook, em 31 do mesmo mês.

A atriz chegou ao local por volta de 11h e saiu às 12h30, sem falar com a imprensa
Fonte: AgNews
Em 4 de novembro, Taís Araújo compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para depor sobre o caso das ofensas raciais recebidas de internautas em seu Facebook, em 31 do mesmo mês.

A atriz chegou ao local por volta de 11h e saiu às 12h30, sem falar com a imprensa
Taís Araújo utilizou o Facebook para agradecer o carinho e o apoio das pessoas após os ataques.
Fonte: Divulgação/TV Globo
Taís Araújo utilizou o Facebook para agradecer o carinho e o apoio das pessoas após os ataques. "A sociedade é linda! Alguns poucos não nos representam! Somos maiores que isso! Muito amor pra gente (...) Eu quero ser pra sempre todos vocês que me emocionaram hoje! TO-DOS! ‪#‎SomosTodosTaisAraujo‬", escreveu na noite do dia 1º de novembro
Luana Piovani voltou a causar polêmica nas redes sociais. Desta vez, a atriz deixou parte de seus seguidores indignados ao comentar sobre o episódio das ofensas raciais que Taís Araújo sofreu, no último fim de semana. Segundo o jornal “O Dia”, a atriz usou seu perfil no Facebook para comparar os comentários negativos recebidos pela esposa de Lázaro Ramos com os que ela costuma ler a seu respeito.

“O preconceito que a Taís Araújo sofreu foi o que, exatamente? Alguém pode esclarecer? Sacanearam ela na internet? Foi isso? Porque eu sou blaster sacaneada e xingada na net e nunca saíram em defesa. Até porque nem ligo, né, gente. Será que foi isso? Agradeço a quem responder”, postou
Fonte: Instagram
Luana Piovani voltou a causar polêmica nas redes sociais. Desta vez, a atriz deixou parte de seus seguidores indignados ao comentar sobre o episódio das ofensas raciais que Taís Araújo sofreu, no último fim de semana. Segundo o jornal “O Dia”, a atriz usou seu perfil no Facebook para comparar os comentários negativos recebidos pela esposa de Lázaro Ramos com os que ela costuma ler a seu respeito.

“O preconceito que a Taís Araújo sofreu foi o que, exatamente? Alguém pode esclarecer? Sacanearam ela na internet? Foi isso? Porque eu sou blaster sacaneada e xingada na net e nunca saíram em defesa. Até porque nem ligo, né, gente. Será que foi isso? Agradeço a quem responder”, postou
Taís Araújo rebateu os ataques racistas que sofreu no dia 31 de outubro, em seu Facebook. “É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia federal. E eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país [...]”, escreveu a beldade.

E continuou: “Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!”
Fonte: Karine Basílio/Revista Estilo/Divulgação
Taís Araújo rebateu os ataques racistas que sofreu no dia 31 de outubro, em seu Facebook. “É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia federal. E eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país [...]”, escreveu a beldade.

E continuou: “Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!”
Entre os posts abusivos, havia comentários como:
Fonte: Divulgação/TV Globo
Entre os posts abusivos, havia comentários como: "Já voltou da senzala?", "Cabelo de bombril", "Cabelo de esfregão" e "Quem postou a foto desse gorila?".

O caso comoveu os fãs e admiradores de Taís, que lançaram no Twitter a hashtag "Somos Todos Taís Araújo", em sua defesa.

Alessandro Thiers, delegado titular que está cuidando do caso, contou que um representante da bela já havia entrado em contato para saber como ela deveria agir para registrar a ocorrência.

"O representante dela entrou em contato com a gente no fim de semana e nós comentamos com ele o que pode ou não ser feito. Como o caso é de ação penal privada não tem registro, não tem nada. Será instaurado inquérito porque o representante da atriz disse que virá até a delegacia. Nós vamos reunir provas e ouvir os envolvidos a partir do momento em que eles vierem fazer o registro. Funciona assim tanto para ela quanto para qualquer pessoa", afirmou ao “Ego”
Depois de Taís Araújo, Cris Vianna foi a nova vítima de ataques racistas na web. Uma foto da atriz, compartilhada em setembro no Facebook, tem sido alvo de comentários agressivos e preconceituosos.

“Cadê o Ibama para tirar esse porco espinho do Facebook?”, disse um internauta.
Fonte: Divulgação/TV Globo
Depois de Taís Araújo, Cris Vianna foi a nova vítima de ataques racistas na web. Uma foto da atriz, compartilhada em setembro no Facebook, tem sido alvo de comentários agressivos e preconceituosos.

“Cadê o Ibama para tirar esse porco espinho do Facebook?”, disse um internauta. "Parece pelo de ratazana” atacou outro. Já um terceiro ironizou: "Parece o bombril que minha mãe usa na pia"
Assim como Maju e Taís Araújo, Cris Vianna registrou o caso de racismo em uma delegacia de repressão aos crimes de informática para identificar as pessoas que lhe agrediram gratuitamente nas redes sociais. A assessoria de imprensa da Rainha de Bateria da Imperatriz informou que os agressores serão enquadrados no crime de injúria por preconceito:
Fonte: AgNews
Assim como Maju e Taís Araújo, Cris Vianna registrou o caso de racismo em uma delegacia de repressão aos crimes de informática para identificar as pessoas que lhe agrediram gratuitamente nas redes sociais. A assessoria de imprensa da Rainha de Bateria da Imperatriz informou que os agressores serão enquadrados no crime de injúria por preconceito: "Cris Vianna aguarda ser chamada para depor"
Após sofrer ataques racistas na web, Cris Vianna resolveu se manifestar através de seu Instagram, em 30 de novembro. Na publicação, a atriz amentou os recentes episódios de preconceito na internet e afirmou que já tomou medidas judiciais contra os autores dos comentários.
Fonte: Instagram
Após sofrer ataques racistas na web, Cris Vianna resolveu se manifestar através de seu Instagram, em 30 de novembro. Na publicação, a atriz amentou os recentes episódios de preconceito na internet e afirmou que já tomou medidas judiciais contra os autores dos comentários.

"Infelizmente, ainda passamos por isso em pleno 2015. Recentemente, a vítima foi a competente jornalista Maria Júlia Coutinho. E agora, apenas um mês após minha linda colega Taís Araújo também ter sido vergonhosa e covardemente atacada, aqui estamos novamente precisando enfrentar racistas escondidos sob o pretenso anonimato da internet”, disse
Após ser vítima de ataques racistas nas redes sociais, Cris Vianna mostrou superioridade ao mandar um recado aos seus detratores, em 2 de dezembro. Sem abaixar a cabeça para o preconceito, a atriz ostentou toda sua beleza em seu perfil no Instagram
Fonte: Instagram
Após ser vítima de ataques racistas nas redes sociais, Cris Vianna mostrou superioridade ao mandar um recado aos seus detratores, em 2 de dezembro. Sem abaixar a cabeça para o preconceito, a atriz ostentou toda sua beleza em seu perfil no Instagram

Sheron Menezzes foi mais uma vítima de manifestações racistas nas redes sociais. No dia 7 de dezembro, a atriz usou seu perfil no Instagram para fazer um desabafo sobre os ataques.
Fonte: Divulgação/TV Globo
Sheron Menezzes foi mais uma vítima de manifestações racistas nas redes sociais. No dia 7 de dezembro, a atriz usou seu perfil no Instagram para fazer um desabafo sobre os ataques. "Desprezíveis racistas, não adianta entrar na minha página e escrever absurdos, xingamentos e agressões, pois vão ter que engolir a mim e a tantas outras pessoas negras em nosso País! Já esperava por isso depois do que fizeram com minhas amigas e colegas, então quero lhes dizer que saiam da frente com sua inveja, pois estamos passando com o nosso cabelo maravilhoso, com a nossa linda cor, nossa beleza, nossa educação e nossa inteligência. Não adianta colocar uma máscara de macaco no meu rosto ou tentar me ofender porque isto não me atinge!"
Durante o “Encontro com Fátima Bernardes”, da Globo, no dia 7 de dezembro, Sheron Menezzes falou sobre os ataques racistas que recebeu nas redes sociais.  “Eu nem sabia, estou de férias. Minha amiga me mandou mensagem perguntando se eu estava bem e eu não entendi o porquê. Então fui ver [as redes sociais] e por mais que você esteja preparada esperando esse momento – porque as pessoas não param, é um movimento que não acaba –, machuca”, desabafou
Fonte: AgNews
Durante o “Encontro com Fátima Bernardes”, da Globo, no dia 7 de dezembro, Sheron Menezzes falou sobre os ataques racistas que recebeu nas redes sociais. “Eu nem sabia, estou de férias. Minha amiga me mandou mensagem perguntando se eu estava bem e eu não entendi o porquê. Então fui ver [as redes sociais] e por mais que você esteja preparada esperando esse momento – porque as pessoas não param, é um movimento que não acaba –, machuca”, desabafou
Moça do Tempo do “Jornal Nacional”, da Globo, Maria Júlia Coutinho se solidarizou com Taís Araújo após os ataques racistas que a atriz sofreu em seu perfil no Facebook.
Fonte: TV Globo
Moça do Tempo do “Jornal Nacional”, da Globo, Maria Júlia Coutinho se solidarizou com Taís Araújo após os ataques racistas que a atriz sofreu em seu perfil no Facebook.
"Linda, sexy, talentosa. Os cães ladram, mas a caravana passa", escreveu Maju em na legenda de uma foto de Taís postada seu perfil no Instagram
Taís Araújo se manifestou após prestar depoimento em uma delegacia no Rio de Janeiro em 4 de novembro. Através de um comunicado enviado à imprensa, a atriz confirmou que denunciou os comentários racistas que recebeu no Facebook e afirmou que o ataque que sofreu não é um caso isolado.
Fonte: Divulgação/TV Globo
Taís Araújo se manifestou após prestar depoimento em uma delegacia no Rio de Janeiro em 4 de novembro. Através de um comunicado enviado à imprensa, a atriz confirmou que denunciou os comentários racistas que recebeu no Facebook e afirmou que o ataque que sofreu não é um caso isolado.

"A denúncia foi realizada em compromisso à sua declaração anterior de levar o caso à justiça na crença de que autores de injúria racial possam ser punidos. Presto depoimento porque sei que meu caso não é isolado e é exatamente o que acontece com milhares de outros negros no País", disse a assessoria
Jamie Foxx foi alvo de comentários racistas em um restaurante na Croácia - onde grava o filme “Hobin Hood: Origens” . Dois homens foram retirados do local após o ataque e a polícia investiga o caso, segundo a rede
Integrante do “Esquenta”, da TV Globo, Luane Dias revelou que foi vítima de ataque racista, no dia 22 de janeiro. As ofensas foram enviadas ao e-mail da Youtuber. No texto, o criminoso usa termos pejorativos à jovem e seus familiares. “Vai, negra, macaca. Sobe em cima de uma árvore da tua família”, dizia um trecho da mensagem
Bruno Gagliasso compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, no dia 16 de novembro. O ator registrou queixa após a filha, Titi, de 3 anos, ser vítima de comentários racistas nas redes sociais.
Dois adolescentes foram apreendidos no dia 1º de outubro, durante uma operação da Polícia Civil de Sorocaba, no inteior de São Paulo Paulo, acusados de terem publicado mensagens racistas contra Preta Gil, em julho deste ano. Além dos jovens, que vão ter que esclarecer a motivação para o crime e responder por ato infracional por crime de injúria, a operação apreendeu computadores e celulares em cidades de 10 estados
No dia 26 de julho, Preta Gil usou suas redes sociais para revelar que foi vítima de ataques racistas: “Meu Facebook foi atacado por um grupo intitulado #MM. Estou em estado de choque. Chocante! Racismo é crime. Será que eles não sabem ainda? O mais triste é que a maioria é criança e já com tanto ódio no coração”
Preta Gil foi fotografada deixando a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na Zona Norte do Rio de Janeiro, após denunciar ataques racistas sofridos no Facebook, no dia 26 de julho. Fernanda Fernandes, delegada que está cuidando do caso, disse que a cantora ou um representante dela terá que voltar à delegacia com os perfis de todas as pessoas que a atacaram na rede de relacionamento
Madrasta de Preta Gil há 37 anos, Flora criticou os internautas que atacaram a cantora em sua página no Facebook em um desabafo no Instagram, no dia 26 de julho. “Injúria por preconceito da cadeia. Por que essa gente que escreve essas coisas não mostra a cara? Covardes! Somos todos Preta Gil”, escreveu a empresária
A Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro deve começar em breve a investigar os suspeitos de terem participado do ataque de ódio sofrido por Preta Gil. Segundo a coluna da jornalista Keila Jimenez, a cantora imprimiu parte das mensagens e as autoridades deverão pedir a quebra de sigilo de mais de 100 perfis no Facebook, na tentativa de identificar os envolvidos no crime
Ana Maria Braga saiu em defesa de Preta Gil no caso dos ataques racistas que a cantora sofreu nas redes sociais, durante abertura do
Vítima de ataques racistas nas redes sociais, Preta Gil ganhou o apoio de amigos e familiares. Flora Gil, madrasta da cantora, utilizou o Instagram para mostrar o grupo reunido e postou a hashtag
Lázaro Ramos afirmou ter sido vítima de racismo várias vezes, principalmente antes de ficar famoso, e garantiu que o preconceito é algo corriqueiro na vida de milhões de negros no Brasil. O ator fez o desabafo durante o
A cantora Zendaya revelou que foi vítima de racismo em seu Snapchat. A popstar relatou que foi mal tratada por uma vendedora depois de pedir informações a respeito de cartões-presentes em uma loja.
Angélica Ramos se tornou mais uma vítima de racismo nas redes sociais. No dia 4 de setembro, a ex-BBB fez a denúncia no Instagram.
Juliana Alves foi ofendida, no dia 31 de agosto, após postar no Instagram uma foto em que aparecia com uma blusa na qual estavam escritos os nomes de diversas mulheres negras famosas e influentes. “Por que nas últimas imagens do Insta você não deu opção de opinião, cabelo de vassoura? Você também está mamando na teta do PT? Estrume, rata da barriga preta”, escreveu um seguidor identificado como Rogerio Marcio Oliveira
Conforme o prometido, MC Carol prestou queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, no Rio de Janeiro, para denunciar os ataques racistas que sofreu nas redes sociais:
MC Carol revelou que foi vítima de comentários preconceitos, em suas redes sociais. Em seu Instagram, a funkeira desabafou a respeito do assunto e prometeu ir à delegacia para fazer uma denúncia.
Juliana Alves revelou que sofre racismo desde a infância. Recentemente, a atriz recebeu mensagens preconceituosas em seu Facebook. No entanto, a artista não quis divulgar o ocorrido e preferiu levar o caso à polícia. “Sou da filosofia de não reproduzir, para não reforçar isso. Quando aconteceu [o racismo] na minha fan page, optei por levar a justiça e fazer uma reunião com a ONG Criola, onde trabalhava, e pensar formas de pressão, no Ministério Público, para que essa questão fosse tratada com mais rigor pela policia
Ellen DeGeneres foi alvo de ataques de internautas, no dia 15 de agosto, ao utilizar as redes sociais para compartilhar uma montagem em que aparece nas costas de Usain Bolt, logo após a conquista da medalha de ouro do atleta nos 100m rasos na Olimpíada Rio-2016. Muitas pessoas acusaram a apresentadora norte-americana de ser racista por colocar o jamaicano como seu meio de transporte.
Integrante da banda Fifth Harmony, Normani Kordei decidiu abandonar o Twitter depois de sofrer ataques racistas. No dia 7 de agosto, a cantora fez um desabafo emocionado na rede antes de desativar o perfil.
Após ser alvo de comentários racistas na internet, Ludmilla desabafou a respeito do assunto no
Acusado dos ataques racistas a Ludmilla, Helder Santos prestou depoimento, no dia 24 de maio, na Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro. O empresário assumiu ter feitos as ofensas, mas ressaltou que elas não foram direcionadas à funkeira.
A Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou o homem que postou comentários racistas contra Ludmilla, no Instagram, Helder Santos chamou a funkeira de “criola” e “macaca” na rede social. O homem de 31 anos será convocado para prestar depoimento nos próximos dias, segundo o jornal “Estado de S. Paulo”. O dono do perfil já respondeu a uma acusação por tentativa de homicídio
Ludmilla esteve na Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI), no Rio de Janeiro, no dia 23 de maio, para prestar queixa contra um internauta que tem enviado a ela mensagens racistas.
Ludmilla foi vítima de ataques racistas, em seu Instagram, na madrugada do dia 23 de maio. Em sua página, a funkeira compartilhou prints de uma internauta a chamando de
Ivo Meirelles foi vítima de ofensas racistas, em seu Instagram, no dia 4 de maio. Na rede social, o músico compartilhou o print que mostra uma usuária xingando através de mensagens privadas. Em seu perfil, o cantor se mostrou indignado com os ataques. “Essa filha da p*** vem me atacar gratuitamente e ainda dizem não existir racismo no país. É o fim!
Adélia Soares esteve na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na zona norte do Rio de Janeiro, no dia 29 de abril, para prestar queixa depois de ser vítima de ataques racistas em suas redes sociais. A ex-BBB foi vítima de comentários preconceituosos em seus perfis na web e chegou a ser chamada de “macaca” por alguns dos internautas
Adélia decidiu entrar na Justiça depois de ser vítima de ataques racistas em suas redes sociais.
Luís Miranda se tornou centro de uma polêmica no dia 7 de abril. O ator relatou que foi confundido por um garçom em restaurante da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. O artista chegou a enviar uma mensagem para o casal considerado racista.
Taís Araújo comentou pela primeira vez a decisão da Justiça de liberar suspeitos dos ataques racistas que sofreu na internet há alguns meses.
Depois de a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) soltar Francisco Pereira da Silva Junior, Pedro Vitor Siqueira da Silva e Thiago Zanfolin Santos Silva – os três acusados de promoverem ataques racistas contra Taís Araújo nas redes sociais –, o Ministério Público e a Justiça do Rio de Janeiro explicaram que a prisão temporária dos rapazes foi vetada, pois as investigações da Polícia Civil terminaram
Francisco Pereira da Silva Júnior, Pedro Vitor Siqueira da Silva e Thiago Zanfolin, os três suspeitos de terem promovido ataques raciais contra Taís Araújo, Sheron Menezzes e Maria Julia Coutinho nas redes sociais - em novembro de 2015 -, foram soltos no último fim de semana.  A 23ª Vara Criminal do Rio de Janeiro determinou que as prisões temporárias fossem transformadas em medidas cautelares. Com isso, os criminosos terão que se apresentar sempre que forem convocados e não podem trocar de endereço sem avisar
Taís Araújo comentou sobre a prisão dos responsáveis por ofensas racistas contra ela e outras famosas da TV Globo, nas redes sociais, no fim de 2015. A atriz disse que ficou satisfeita com o resultado das investigações e espera que o caso não se repita.
Em 16 de março, Alessandro Thiers, delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DCRI) do Rio de Janeiro, afirmou que foram presas cinco pessoas suspeitas de praticar crimes de racismo contra Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho, em 2015. Além disso, foram expedidos 11 mandados de prisão
Tiago Zanfolim Santos, de 26 anos, foi preso em 16 de março em Brumado, no sudoeste da Bahia. O rapaz é suspeito de praticar crimes de racismo contra Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho no ano passado. O homem foi detido em cumprimento a um mandado de prisão temporária e não resistiu aos policiais. Segundo o “G1”, o suspeito teve o computador e o celular apreendidos
Após ser alvo de ataques racistas nas redes sociais, Taís Araújo voltou a afirmar que é vítima de comentários preconceituosos durante toda a sua vida, em entrevista ao “Altas Horas”, da TV Globo: “Negro brasileiro passa por isso diariamente. É fato, até hoje”
Discreto sobre a vida pessoal, Lázaro Ramos se manifestou a respeito dos ataques racistas que sua esposa, Taís Araújo, sofreu recentemente na web.
Teresa Bergher, presidente da Comissão Contra a Discriminação da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, propôs homenagear Taís Araújo com uma moção de louvor após os ataques racistas sofridos pela atriz pelo Facebook, em 3 de novembro. 

De acordo com o “Ego”, a global foi convidada a para participar de uma audiência pública no dia 16 de novembro, para discutir os diversos casos de preconceito e discriminação racial e religiosa
Taís Araújo foi vítima de comentários racistas em seu Facebook, em 3 de novembro, e os ataques à atriz podem ter sido orquestrados pelo mesmo grupo que ofendeu a jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju do “Jornal Nacional”, em julho deste ano.

O coletivo “QLC [sigla para ‘Que Loucura, Cara’] The Return” teria planejado todo o ataque pela web e se vangloriado por não serem pegos ao ofenderem Maju, segundo o
A Polícia Civil do Rio de Janeiro quebrou o sigilo de cerca de 30 perfis de usuários do Facebook, suspeitos de conexão com os comentários racistas publicados em uma foto de Taís Araújo na rede social. A atriz prestou depoimento sobre o caso na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática.

Os investigadores disseram que as contas são de residentes do Rio e de São Paulo. Segundo autoridades, mesmo que os perfis tenham sido apagados, eles serão encontrados e podem responder por injúria racial
A polícia acredita que Taís Araújo foi alvo de uma quadrilha racista no Facebook. Responsável pelo caso, o delegado Alessandro Thiers disse que desconfia que os ataques tenham sido realizados por um grupo específico de pessoas.
Após os recentes ataques de racismo contra Taís Araújo, Aline Prado revelou que também sofreu muito preconceito ao longo da vida. A repórter do “Vídeo Show”, inclusive, relembrou alguns momentos difíceis de sua infância.

“Estudei durante um tempo em colégio particular e era a única negra na sala de aula. As meninas me chamavam de macaca e me excluíam das brincadeiras
Em 4 de novembro, Taís Araújo compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para depor sobre o caso das ofensas raciais recebidas de internautas em seu Facebook, em 31 do mesmo mês.

A atriz chegou ao local por volta de 11h e saiu às 12h30, sem falar com a imprensa
Taís Araújo utilizou o Facebook para agradecer o carinho e o apoio das pessoas após os ataques.
Luana Piovani voltou a causar polêmica nas redes sociais. Desta vez, a atriz deixou parte de seus seguidores indignados ao comentar sobre o episódio das ofensas raciais que Taís Araújo sofreu, no último fim de semana. Segundo o jornal “O Dia”, a atriz usou seu perfil no Facebook para comparar os comentários negativos recebidos pela esposa de Lázaro Ramos com os que ela costuma ler a seu respeito.

“O preconceito que a Taís Araújo sofreu foi o que, exatamente? Alguém pode esclarecer? Sacanearam ela na internet? Foi isso? Porque eu sou blaster sacaneada e xingada na net e nunca saíram em defesa. Até porque nem ligo, né, gente. Será que foi isso? Agradeço a quem responder”, postou
Taís Araújo rebateu os ataques racistas que sofreu no dia 31 de outubro, em seu Facebook. “É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia federal. E eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país [...]”, escreveu a beldade.

E continuou: “Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!”
Entre os posts abusivos, havia comentários como:
Depois de Taís Araújo, Cris Vianna foi a nova vítima de ataques racistas na web. Uma foto da atriz, compartilhada em setembro no Facebook, tem sido alvo de comentários agressivos e preconceituosos.

“Cadê o Ibama para tirar esse porco espinho do Facebook?”, disse um internauta.
Assim como Maju e Taís Araújo, Cris Vianna registrou o caso de racismo em uma delegacia de repressão aos crimes de informática para identificar as pessoas que lhe agrediram gratuitamente nas redes sociais. A assessoria de imprensa da Rainha de Bateria da Imperatriz informou que os agressores serão enquadrados no crime de injúria por preconceito:
Após sofrer ataques racistas na web, Cris Vianna resolveu se manifestar através de seu Instagram, em 30 de novembro. Na publicação, a atriz amentou os recentes episódios de preconceito na internet e afirmou que já tomou medidas judiciais contra os autores dos comentários.
Após ser vítima de ataques racistas nas redes sociais, Cris Vianna mostrou superioridade ao mandar um recado aos seus detratores, em 2 de dezembro. Sem abaixar a cabeça para o preconceito, a atriz ostentou toda sua beleza em seu perfil no Instagram
Sheron Menezzes foi mais uma vítima de manifestações racistas nas redes sociais. No dia 7 de dezembro, a atriz usou seu perfil no Instagram para fazer um desabafo sobre os ataques.
Durante o “Encontro com Fátima Bernardes”, da Globo, no dia 7 de dezembro, Sheron Menezzes falou sobre os ataques racistas que recebeu nas redes sociais.  “Eu nem sabia, estou de férias. Minha amiga me mandou mensagem perguntando se eu estava bem e eu não entendi o porquê. Então fui ver [as redes sociais] e por mais que você esteja preparada esperando esse momento – porque as pessoas não param, é um movimento que não acaba –, machuca”, desabafou
Moça do Tempo do “Jornal Nacional”, da Globo, Maria Júlia Coutinho se solidarizou com Taís Araújo após os ataques racistas que a atriz sofreu em seu perfil no Facebook.
Taís Araújo se manifestou após prestar depoimento em uma delegacia no Rio de Janeiro em 4 de novembro. Através de um comunicado enviado à imprensa, a atriz confirmou que denunciou os comentários racistas que recebeu no Facebook e afirmou que o ataque que sofreu não é um caso isolado.

Notícias relacionadas