Atores da Globo negam racha no elenco por divergências políticas

Os atores de “O Sétimo Guardião” – substituta de “Segundo Sol” – trama das 21h da TV Globo – negaram que haja um racha na classe artística por conta de divergências políticas. Durante o lançamento da novela, na última quinta-feira (8), no Rio de Janeiro, parte do elenco comentou os boatos sobre o assunto.

VOCÊ VIU? Atitude de Fátima Bernardes decepciona plateia do “Encontro”

Ex de Anitta posta mensagem romântica e se declara a modelo americana

Polícia acha drogas ao cumprir mandado em produtora de MC Gui

Deborah Secco diz quanto ganhou para cortar o cabelo em “Sol”

“Isso não existe e nunca existiu. Todo mundo se conhece e se respeita. Você pode não concordar com um ou outro pensamento, mas apontar o dedo, jamais. E tem mais: Quem hoje em dia recusa um trabalho? Quem fecha uma porta? Só louco mesmo”, afirmou Paulo Betti ao “Uol”.

Tony Ramos, também fez questão de defender defendeu o livre arbítrio das pessoas. “Cada um tem o direito de apoiar um candidato A ou B. Eu nunca subi em um palanque, nunca fui partidário e é muito fácil alguém vir e me acusar de ‘ser em cima do muro’, mas eu sou um ser político, que não uso a minha notoriedade para fazer política”, comentou.

Dan Stulbach, por sua vez, garantiu que não percebeu nenhum comentário sobre a divisão entre os artistas: “Se isso está acontecendo, que seja passageiro. Intolerância em qualquer situação já não cabe mais”.

Vale lembrar que de acordo com o colunista Ricardo Feltrin, famosos ditos de “esquerda”, estão pressionando colegas acima e abaixo na hierarquia a se recusar a trabalhar ou deixar de convidar ex-colegas que declararam apoio Jair Bolsonaro,  eleito pelo Partido Social Liberal.

Atores e atrizes que estão sendo chamados para as próximas produções do canal exigem saber antes quem serão os colegas de elenco. Dizem que não querem contracenar com “fascistas”.




Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE