Intérprete da sobrinha de Seu Madruga morre aos 72 anos de idade

  • Maria Luisa Alcalá ©
  • Maria Luisa Alcalá ©
  • Florinda Meza e Roberto Bolaños ©
  • Rubén Aguirre e Florinda Meza ©
  • Carlos Villagrán ©
  • Quico - Carlos Villagrán ©
  • Florinda Meza ©
  • Florinda Meza ©
  • Maria Antonieta de las Nieves ©
  • Ricardo de Pascual ©
  • Turma do Chaves ©

    Rubén Aguirre não conteve a emoção ao falar sobre o amigo Roberto Bolaños – morto em novembro de 2014 – e chorou durante entrevista ao “Programa do Ratinho”, do SBT, na última quarta-feira (25).

    O intérprete do Professor Girafales não conseguiu segurar as lágrimas ao lembrar da última conversa que teve com o criador dos personagens Chaves e Chapolin.

    “O Roberto estava muito doente e eu liguei para ele e falei: ‘Se tem alguma coisa que eu possa fazer por você, por favor, me avise’. Ele era meu irmão. Não éramos amigos, éramos irmãos”, relembrou o ator emocionado.

    O veterano contou outra passagem marcante que vivenciou com o amigo de longa data.

    “Me lembro de outra vez que falei com o Chaves ao telefone e eu disse: ‘Roberto, te amo’. E ele respondeu: ‘Eu também te amo’. Logo em seguida, ele falou: ‘Olha que curioso, na nossa idade nós podemos dizer ‘te amo’, se tivéssemos 22 anos e disséssemos ‘te amo’, iriam dizer que somos gays”, relembrou.

    Em outro momento da entrevista, o artista contou que apesar de ser muito amigo da intérprete da Bruxa do 71, Angelines Fernández – que faleceu em 1992 -, entregou que a atriz tinha um temperamento difícil.

    “Às vezes ela era chata, não era uma pessoa fácil. Quando íamos ao restaurante, ela dizia para o garçom. ‘Vou querer um sanduíche, mas, por favor, quero o tomate na parte de baixo, o queijo na parte de cima e a cebola picada’. Ramón Valdés [Seu Madruga] era um santo com ela, aguentava tudo”, confidenciou.

  • Mexicano viveu romance com parceira de cena na década de 70 ©
  • Roberto Bolaños ©
  • Turma do Chaves ©

    Florinda Meza, viúva de Roberto Bolanõs, o Chaves, está escrevendo o roteiro de uma série para a Netflix e quer Thalia como protagonista da produção.

    De acordo com a coluna da jornalista Keila Jimenez, a veterana, inclusive, já falou com a atriz sobre o projeto.

    O plano da mexicana é apresentar a historia à Netflix ainda este ano, com a loira confirmada no elenco.

    Vale ressaltar que, apesar de serem amigas, Florinda e Thalia nunca trabalharam juntas.

  • Turma do Chaves ©

    Viúva de Roberto Bolaños, criador da série “Chaves”, Florinda Meza revelou que a verdadeira causa da morte do mexicano foi o Mal de Parkinson. A doença estava em um estágio tão avançado que acabou agravando o delicado estado de saúde do humorista.

    “Ele tinha um Parkinson tardio que acelerou todos os seus problemas. Foi muito doloroso ver, dia após dia, meu marido se deteriorar e não poder fazer nada”, contou a famosa, aos prantos, em entrevista a um programa da TV Azteca.

    A atriz disse ainda que o astro também sofria de transtornos de personalidade. Nos últimos anos, o eterno Chapolin tinha ataques de fúria e a agredia verbalmente: “Um homem tão bom, tolerante, decente, de repente havia se tornado violento comigo e me dizia coisas horríveis”

  • Turma do Chaves ©

    Filha mais velha de Roberto Gómez Bolaños, criador da série “Chaves”, Graciela Gómez Fernández cutucou Florinda Meza, última mulher do humorista, ao relembrar a morte de sua mãe, Graciela.

    “Há dois anos minha mãe se foi. Desde esse mesmo dia, meu pai disse: ‘Quero ir com ela’. Estão juntos e felizes”, escreveu a primogênita do mexicano no Twitter.

    Outra herdeira do ator, Marcela Gómez Fernández apoiou as palavras da irmã nas redes sociais. “Totalmente de acordo. E hoje, mãe, os seis irmãos te recordamos com seu prato favorito: chiles en nogada’ [receita típica mexicana com pimentão e molho de nozes]”, postou.

    Bolaños e Graciela se casaram em 1956 e viveram juntos por 21 anos. O casamento da dupla chegou ao fim quando o astro se envolveu com Florinda nos bastidores da série que o tornou famoso em diversas partes do mundo.

    A relação entre a viúva do mexicano com os herdeiros do marido se complicou depois da morte do veterano. Rumores dão conta de que eles teriam entrado com um processo contra a atriz, questionando a venda de propriedades da família e contestando o testamento deixado por Bolaños.

    Segundo a revista “Forbes”, o patrimônio do criador do personagem Chapolin Colorado está avaliado em cerca de R$ 3,7 bilhões.

  • Turma do Chaves ©

    Roberto Gómez Fernández, filho de Roberto Bolaños, o criador de Chaves, entrou na Justiça para lutar contra Florinda Meza, sua madrasta, pela herança do pai. O herdeiro teria ficado enfurecido após a viúva colocar as propriedades do comediante à venda.

    “No momento certo saberão das coisas. Por enquanto, não posso falar nada”, disse à revista mexicana “Fama”.

    Em dezembro, a viúva do eterno Chapolin Colorado justificou a venda de uma das mansões: “Eu queria vendê-la antes, mas não o fiz porque nos últimos cinco anos da minha vida não tive tempo para pensar em nada senão estar ao lado dele [Bolaños]. Ninguém nos visitava, os filhos iam cada vez menos a Cancún. Então, para que uma casa tão grande?”.

    O artista, vale lembrar, faleceu em novembro de 2014. Na ocasião, mobilizou fãs de toda a América Latina e levou uma verdadeira multidão ao seu velório.

  • Turma do Chaves ©

    Durante entrevista exclusiva ao “Programa do Ratinho”, Florinda Meza afirmou não ter nenhum problema com os filhos do primeiro casamento de Roberto Bolaños.

    De acordo com a imprensa mexicana, a história não é bem assim. Um programa de TV local afirmou que a viúva do criado de “Chaves” está em guerra com Roberto, Marcela, Cecília, Teresa, Paulina e Graciela, filhos do primeiro casamento do humorista.

    Os seis herdeiros de Bolaños pretendem contestar na Justiça o testamento deixado pelo pai já que a atriz mexicana se recusa a dividir parte da herança do astro latino.

    Florinda alega que o valor pedido pelo sexteto é muito maior do que o ator teria deixado por escrito para os herdeiros. A fortuna do mexicano está avaliada em cerca de R$ 45 milhões.

  • Turma do Chaves ©

    Durante sua primeira visita ao Brasil, Florinda Meza também concedeu entrevista ao “Programa do Ratinho”, exibido no dia 25 de fevereiro. Foi a primeira após a morte do marido, Roberto Bolaños.

    A atriz mexicana negou os boatos de que teria proibido os fãs do criador de “Chaves” de visitar o túmulo do astro e colocado câmeras no local para vigiar a sepultura. “Não é verdade. As câmeras já existiam no cemitério. Podem visitar. Existe um guia que conduz os visitantes”, afirmou.

    A veterana se emocionou ao lembrar da vida ao lado do companheiro com quem viveu durante 37 anos. Florinda contou detalhes da intimidade do casal e comentou sobre o período em que ficou três meses separada de Bolaños.

    “Ele saiu de casa porque se sentiu pressionado por filhos, ex-mulher, imprensa. E, quando ele quis voltar, eu já não o queria mais. Fui dar aula de dança, e a empregada o deixou entrar. Quando voltei para casa, encontrei um caminho de flores. Na minha cama, estava escrito ‘eu te amo'”, disse com lágrimas nos olhos.

    Vestida de preto, Florinda disse ainda que não conseguiu superar a morte do marido, mas que não tem outra opção a não ser levar a vida adiante. “Estou sobrevivendo. E duvido que qualquer pessoa no meu lugar teria conseguido superar. Fomos casados por quase 40 anos e trabalhamos juntos por 45. Passei mais tempo da minha vida com ele do que sem ele”, lamentou

  • Turma do Chaves ©

    Florinda Meza também conversou com o apresentador Celso Portiolli para o “Domingo Legal”. Durante o encontro, a atriz revelou detalhes sobre os últimos anos com o marido, Roberto Bolaños.

    A intérprete de Dona Florinda no seriado “Chaves” revelou que passou dois anos dormindo longe do companheiro, por conta de seus problemas de saúde – ele morreu em novembro do ano passado. “Nos dois últimos anos dele, já não dormíamos juntos porque ele estava em uma cama de hospital”, contou.

    “Eu comprei uma cama hospitalar para ele. Como não queria ficar fora do quarto, coloquei uma outra cama em nosso quarto, que era enorme, para qualquer coisa que ele precisasse durante a noite”, detalhou a viúva do criador de “Chaves” e “Chapolin”

Close sidebar