Karol Conká reprova “insensatez” e declara torcida no “BBB”


© João Cotta/TV Globo


Desde que foi eliminada do “BBB21”, na última terça-feira (23), com o maior índice de rejeição da história do programa, Karol Conká, de 35 anos de idade, tem feito análises de sua participação. A rapper comentou qual foi a postura que mais a deixou surpresa.





VOCÊ VIU? Fiuk lança single “Amor da Minha Vida”

Simone relata dores no pós-parto de Zaya: “Muito difícil”

André Marques comenta desafios após cirurgia bariátrica

Sthefany Brito sobre puerpério: “Chorei todos os dias”

“Minha falta de sensatez no confinamento foi algo que me surpreendeu”, afirmou.

Karol avaliou como positivo o fato de “não deixar a animosidade lhe desequilibrar”, e disse que vai procurar um terapeuta.

A cantora também afirmou que, se pudesse fazer algo diferente, teria se preparado melhor para entrar no reality. “Deveria ter aprendido a lidar melhor com meus demônios, porque lá dentro teve muito gatilho que despertava coisas em mim que ninguém tem culpa”, ressaltou.





VILÃ DO “BBB”

A rapper explicou como incorporou a personagem de vilã no reality. “Acabei me irritando facilmente, entendendo coisas de maneira errada e entrando na personagem de vilã. E saí batendo recorde. Essa personagem veio com a tristeza de estar fora do controle”, afirmou.

“Acho que é uma visão exagerada, mas eu super entendo. Se o público estivesse lá dentro, ia apenas achar que eu estava com um problema de animosidade, não que eu sou uma vilã real. Mas houve momentos em que eu brinquei de ser vilã com o Nego Di. Acho que não teria muita graça um programa inteiro com todo mundo só sendo fofinho. Então acabei me deixando levar.”

TORCIDA

“A minha torcida sempre foi para o Gil. Eu acho ele a cara do BBB! Todas as vezes que ele se sentia mal, eu ia dar apoio. Quando ele foi ao paredão junto com a Juliette, eu fui a pessoa que ficou com eles na piscina, cantando Lady Gaga, porque eu tinha certeza de que eles não iriam sair. Fiquei muito feliz de ter conhecido o Gil”, afirmou.