Dia de apuração: trio é o favorito ao título do Carnaval de São Paulo


© Famosidades


O segundo dia de desfiles do Carnaval de São Paulo foi o melhor e deve eleger a campeã de 2016, em apuração a ser realizada nesta terça-feira (9). Três escolas que saíram no dia despontam como favoritas: Império de Casa Verde, Vai-Vai e Mocidade Alegre. Porém, duas que desfilaram no primeiro dia podem surpreender.





O Famosidades listou o que a apuração de logo mais deve reservar para o torcedor e resumiu o que cada agremiação apresentou.

1. FAVORITAS

Império de Casa Verde
Foi um desfile que impressionou. A Casa Verde apostou em alegorias gigantes, muito bem acabadas. O público aprovou, embora não tenha se contagiado. Uma apresentação para brigar pelo título. O que pode impedir o sonho foi a apresentação do enredo, um pouco confusa.

Vai-Vai
A história da França foi esmiuçada com a categoria habitual, e a Vai-Vai se credenciou a lutar pelo bicampeonato. As costumeiras alegorias gigantes deram lugar a carros menores, mais leves e criativos. Uma exibição técnica, que iniciou contagiando o Anhembi. Porém, da metade para o fim o público esfriou, talvez por conta do samba, que deixou a desejar. E a escola pode perder pontos caso uma agressão de um integrante a um operador de som seja confirmada.

Mocidade Alegre
A maior vencedora dos últimos dez anos, tricampeã entre 2012-13-14 e vice em 2015, a Mocidade Alegre veio para reconquistar o título. Um desfile técnico, com chão, alas cheias, coloridas, tudo para contar o centenário do samba por uma lenda africana. A ousadia marcou boa parte da exibição. Mestre Sombra apostou em sete paradonas da bateria de cerca de 30 segundos cada. Resta saber como os jurados vão reagir a isso. Se não gostarem, a escola pode perder pontos não só quesito, mas também em harmonia e evolução.

2. PODEM SURPREENDER



Vila Maria
Foi a melhor escola do primeira dia. Fez um desfile de peso, com a cara do carnavalesco Alexandre Louzada, em seu primeiro trabalho na agremiação. Alegorias e fantasias luxuosas. Pegou mal, apenas, a comissão de frente, confusa.

Gaviões da Fiel
Foi um desfile grandioso, de enormes alegorias, muito bem acabadas. Trouxe uma legião de mulheres bonitas e não cometeu erros. Tem tradição e força para, quem sabe, surpreender. O samba não estava tão bom e muitas fantasias tiveram o led apagados.

3. LUTAM PARA VOLTAR NAS CAMPEÃS



Acadêmicos do Tatuapé
Desfilou com o dia totalmente claro ao homenagear a Beija-Flor de Nilópolis, do Rio de Janeiro. Uma apresentação correta, sem susto, e com alguma emoção ao trazer personalidades da agremiação fluminense.

Rosas de Ouro
Embora tenha feito um desfile frio, foi muito técnica. Tinha um enredo irreverente, ao falar sobre as tatuagens, mas um samba fraco. Sem uma melodia forte, a apresentação não cativou o público. Mas teve alegorias e fantasias lindíssimas, que podem fazer diferença.

4. NEM LÁ, NEM CÁ

Águia de Ouro
Esperava-se muito da escola, que escolheu o tema “Ave Maria Cheia de Faces”. Tinha boas alegorias, de peso, mas trabalho do enredo e o samba deixaram a desejar.

Acadêmicos do Tucuruvi
Um dos pontos fortes foi a presença da estonteante Aline Riscado à frente da bateria. O enredo sobre a “fé” foi bem desenvolvido e a evolução funcionou bem. Faltou um samba à altura da agremiação.

Nenê de Vila Matilde
Homenageou a atriz Claudia Raia e emocionou em alguns momentos. Deixou muitos componentes emocionados também, mas isso não deve ser o suficiente para uma colocação entres as primeiras. Faltou mais peso na apresentação.

Dragões da Real
Um desfile sem brilho, mas com irreverência ao falar sobre “dar e receber presente”. Faltou trabalhar melhor o enredo, um tanto confuso ao ser apresentado ao público.

5. CORREM RISCO

X-9
Foi a escola mais problemática. Encarou percalços do início ao fim com suas alegorias. Um destaque caiu ainda na concentração e foi levado ao hospital. Isso fez a agremiação deixar um espaço aberto no carro, enormes buracos e muita correria para fechar o desfile no tempo.

Pérola Negra
Enfrentou problemas de iluminação no Anhembi. Além disso, apresentou fantasias mal acabadas, assim como suas alegorias. Houve muitos buracos e também correria para fechar no prazo.

Unidos do Peruche
Retornou à elite com um desfile guerreiro ao falar sobre o centenário do samba. Porém, foi prejudicada por uma ação intempestiva de uma de suas musas, que arrancou a fantasia em protesto no meio da exibição. Como os jurados costumam ser rigorosos com quem volta do Acesso, isso pode atrapalhar.