Império, Padre Miguel e Tuiti despontam como favoritas ao título no Rio


  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades
  • © Márcio Cassol/Famosidades

Se o primeiro dia do desfile das escolas de samba da Série A do Rio de Janeiro deixou a desejar, a segunda noite de apresentações foi marcada pelo equilíbrio de belas atuações.

Império Serrano, Paraíso do Tuiuti e Unidos de Padre Miguel prometem uma boa disputa pelo título e pelo ingresso no Grupo Especial no Carnaval de 2017. Provavelmente, a campeã do Acesso sairá daí.

O Império surprendeu com uma plástica impecável, alegorias bem acabadas e fez bonito na Avenida com um belo samba-enredo sobre o compositor Silas de Oliveira, mas não empolgou o público.

Já a Unidos de Padre Miguel deixou a Sapucaí aos gritos de campeã com enredo irreverente sobre a exploração do povo brasileiro. A vermelha e branca também impressinou com alegorias grandiosas e acima da média das concorrentes.

Contudo, ambas as escolas sofreram com buracos e podem perder alguns pontos em evolução.

Apostando no “causo” do boi que virou santo, a Tuiti fez um desfile à altura das concorrentes e não teve problemas de harmonia, mas sofreu um apagão devido a uma pane nos geradores em duas de suas quatro alegorias.

Dia foi marcado por desastre da Caprichosos

A Inocentes de Belford Roxo também passou por sério problemas de harmonia com enormes buracos ao longo de todo seu desfile em homenagem ao cineasta Cacá Diegues. Por sua vez, a União de Parque Curicica enfrentou vários contratempos com suas alegorias no enredo sobre o tradicional teatro de bonecos do Nordeste. A agremiação chegou a perder um carro antes mesmo do início do desfile. O elemento cenográfico quebrou durante o transporte do barracão ao Sambódromo.

No entanto, nada se compara ao desastroso desfile da Caprichosos de Pilares. Enfrentando graves problemas financeiros, a agremiação cruzou a Sapucaí com fantasias incompletas, alegorias quebradas, estourou o tempo em quatro minutos e quase prejudicou a Padre Miguel, que entrou na Avenida logo em seguida.

Portanto, nem um milagre poderá salvar a azul e branca do rebaixamento neste Carnaval.

LEIA TAMBÉM:

Com desfile irreverente e luxuoso, Unidos de Padre Miguel faz jus ao favoritismo

Caprichosos desfila com fantasias incompletas, alegorias quebradas e estoura tempo

Império Serrano apresenta plástica impecável, mas derrapa em harmonia

Curicica perde carro alegórico na concentração e fica distante do título

Tuiuti sofre com geradores, mas encanta com “causo” de boi santo e Padre Cícero

Com problemas de harmonia, Inocentes de Belford Roxo faz tributo a Cacá Diegues e ao cinema

Acadêmicos do Cubango fecha desfiles da Série A com enredo confuso