No Carnaval, Alline Rosa incentiva o empoderamento feminino


© Dilson Silva/AgNews


Na última terça-feira (25), Alinne Rosa realizou a sua última apresentação no Circuito Barra-Ondina do Carnaval de Salvador 2020. A sua nova música de trabalho se chama Vale Tropical, e por esta razão, a cantora escolheu o tema “O Maior Vale Tropical do Mundo” para animar os foliões. Alinne tem um perfil empoderado na web e avaliou as manifestações feministas da folia neste ano.





VOCÊ VIU? Águia de Ouro ganha título inédito do Carnaval de SP em 2020

X-9 Paulistana é rebaixada no Carnaval de SP

Rainha da Beija-Flor, Raíssa revela ano de superação em 2020

Renata Spallicci usa look de protesto

“Eu compus algumas músicas que incitam isso, e vejo na cara das pessoas lá embaixo o empoderamento muito maior. As mulheres saindo de casa donas de si de verdade. Eu posso vestir o que quiser e não me toca se eu não quiser. Todo dia a gente tem que falar sobre isso, não pode deixar passar. Estou vendo um resultado maior no Carnaval”, contou à “QUEM”.

A cantora revelou que já sofreu machismo no Carnaval, em Salvador, em uma ocasião que usou um fio dental: “Lembro de uma matéria que fiquei arrasada. Vários comentários machistas, com palavrão. E eu saí com uma censura no corpo. Sempre coloco alguns protestos na minha roupa e nas músicas, isso não dá para deixar passar. A gente tem que combater o machismo”, disse.

A época de Carnaval costuma ser a mais agitada para Alinne e é necessária uma preparação física especial para dar conta da maratona de shows. “Comi muito carboidrato para dar energia, mesmo. Mas em geral evito coisas que me dão refluxo, é mais chocolate, que eu gosto muito, então dou uma segurada. Mas não tenho muito radicalismo, não. Faz um tempão que não treino”, finalizou.