Agnaldo Timóteo volta a respirar sem aparelhos, diz hospital


© Divulgação


Agnaldo Timóteo voltou a respirar sem a ajuda de aparelhos, após sofrer um AVC. Nesta sexta-feira (31), foi divulgado um novo boletim médico sobre a saúde do artista.





VOCÊ VIU?  Xuxa ‘toma as dores’ de Leo Dias após barraco na TV

“Não tenho problema em pegar mulher”, revela Ludmilla

STJ condena Datena em R$ 60 mil por danos morais

Atriz transexual de “A Dona” mostra foto de antes da transição

“Ele está evoluindo em processo gradativo de melhora clínica. Ontem, foram suspensos os sedativos e, hoje, o paciente foi submetido, com sucesso, ao procedimento de extubação, estando, assim, respirando sem ajuda de aparelhos”, disse o comunicado.

O veterano foi internado às pressas no último dia 20 de maio. Ele continua passando por uma bateria de exames na UTI do Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador, na Bahia.

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”

  • © Divulgação

    Natural de Caratinga, Minas Gerais, Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira em programas de calouro, até se tornar conhecido como o “Cauby mineiro”. Antes do estrelato, chegou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, e, em paralelo se dedicava à música. Ficou famoso após gravar a canção “Meu Grito”, de Roberto Carlos. Depois disso vieram vários sucessos românticos, como “Ave-Maria”, “Mamãe” e “Os Verdes Campos De Minha Terra”