Anitta e Rick Bonadio discutem após funk no Grammy


© Instagram


Rick Bonadio recebeu diversas mensagens de celebridades que não gostaram das suas críticas sobre o uso de uma música de Pedro Sampaio durante a apresentação de Cardi B no Grammy 2021. Entre elas, Anitta, que discutiu com o produtor musical no Twitter nesta segunda-feira (15), e ressaltou a importância do funk na cultura brasileira.





VOCÊ VIU? Conheça 5 remakes de filmes que marcaram décadas

Com Rob Lowe, “9-1-1: LONE STAR” estreia no STAR Channel

Cindy Crawford compra cobertura de R$ 17 mi em Miami

Adam Levine compra mansão por R$ 126 milhões na Califórnia

“Já exportamos Bossa Nova, já exportamos Samba Rock, Jobim, Ben Jor. Até Roberto Carlos. Mas o barulho que fazem por causa de 15 segundos de funk na apresentação da Cardi B me deixa com vergonha. Precisamos exportar música boa e não esse “fica de quatro”, escreveu o produtor.

“Eu tenho uma sugestão top para você também. Escolhe um ritmo brasileiro à sua altura, faz uma música e exporta pro mundo. É facinho, rápido, de uma hora para outra, claro, não dá para começar com míseros segundos no Grammy. Quando você chegar lá a gente comemora com você. Ah e sozinho, também… Não vale chamar um amiguinho pra unir forças e nem comemorar quando tem vitória de outro amiguinho. Aí, você conseguindo, eu vou faço uma campanha pra deixarem de ser meus fãs e serem seus”, escreveu Anitta.

Rick rebateu o comentário da cantora: “Não dá pra aceitar que sempre a mesma batida com letras de putaria seja algo necessário ou a ‘cultura do país’. De qualquer forma eu respeito todos do funk por suas batalhas e vitórias. Desculpem se ofendi, nunca é minha intenção”, disse ele.



“Mesma batida? Você deve ter parado de pesquisar desde seu último álbum de sucesso. Mesmas letras? Aceito. Porém infelizmente cada um canta uma letra compatível com o nível educacional e cultural que lhe é oferecido. Nesse caso, pelo governo brasileiro para com suas comunidades”, respondeu Anitta.



“Eu sinto a necessidade de criticar algumas situações pq vejo uma alienação generalizada. O funk precisa evoluir. Os funkeiros precisam ousar evoluir musicalmente para crescer. Não se pode fazer o mesmo sempre porque isso dá certo. Meu post anterior não teve a intenção destrutiva”, explicou Rick.

“‘Essa é a merda que o Rio nos manda!’ … 2021? Não! Apenas um dos milhares de comentários pejorativos dos ‘entendedores’ de cultura na época em que a grande Bossa Nova foi lançada. Será que já vi esse filme? Estudei, então já vi”, apontou a cantora sobre um fato que já aconteceu no passado com outro estilo musical.

Luísa Sonza e Valesca Popozuda também se pronunciaram sobre a fala de Bonadio. “Dá pra aceitar sim, dá pra respeitar e dá pra você ignorar o ritmo, mas você escolheu ‘criticar’ e ‘ofender’. Sim eu me ofendi, eu canto funk e proibidão, mas eu gero empregos, pago imposto e mantenho a comida na minha casa com letras do proibidão”, afirmou Valesca.

“Ai, não, gente. Ninguém merece em 2021 ver produtor ultrapassado falando mal de funk no Grammy”, escreveu Luísa.