Após assumir namoro gay, pastor Felipe Heiderich faz B.O. por ataques


© Instagram


Felipe Heiderich resolveu fazer um boletim de ocorrência após ser vítima de ataques homofóbicos por ter assumido seu namoro com Bruno di Simone.

LEIA TAMBÉM: Polícia acredita que MC Kevin caiu ao confundir varanda; entenda

Ana Maria leva dublê para estúdio e engana equipe do “Mais Você”

Ex de Gabriela Pugliesi, Erasmo Viana engata novo romance

Influenciadora toma ‘café de ouro’ de R$ 250

De acordo com a colunista Fábia Oliveira, foi feita uma queixa contra cinco youtubers por preconceito: os influenciadores por trás dos canais Oswaldo Eustáquio, André Carpano, Metaforando, Fala Zion e Diego Ganoli.

Segundo Bruno di Simone, a dupla também recebeu ofensas ‘pesadas’ de cerca de 400 pessoas diferentes, no Instagram e no YouTube. Por essa razão, o rapaz quer acionar criminalmente os autores dos comentários.

Além disso, pelo menos 500 pessoas proferiram ataques a Felipe atrelando sua homossexualidade ao crime de estupro de vulnerável – do qual o pastor foi acusado pela ex-eposa, a também pastora Bianca Toledo, mas que foi absolvido pela Justiça.

Felipe Heiderich, para quem não se recorda, teve uma separação para lá de polêmica de Bianca. Na época, o rapaz foi denunciado pela então companheira de abusar sexualmente do filho dela, na época com 5 anos, além de ter tido sua orientação sexual – não assumida ainda na ocasião – exposta. O religioso chegou a ser preso e enfrentou um processo pelo crime. Entretanto, foi considerado inocente das acusações.