Após prisão, atrizes enfrentam processo bilionário por suborno


© Instagram


Lori Loughlin e Felicity Huffman conseguiram se livrar da prisão, mas o processo de esquema de suborno ainda vai longe. Inclusive, as atrizes são processadas em nada menos do que US$ 500 bilhões.

VOCÊ VIU? Marcelo de Nóbrega sofre infarto e passa por cirurgia

Ex-BBB revela affair com Luciano Szafir quando era adolescente

Neymar Jr. defende Bruna Marquezine: “Tem que respeitar, sim”

Valesca Popozuda nega ter exibido partes íntimas em show

As famosas foram acusadas de terem comprado vagas para que seus respectivos filhos pudessem entrar na universidade. Além das artistas, que têm fama mundial, outras pessoas também foram processadas pelo crime.





A ação é movida por Jennifer Kay Toy, que se revoltou após o filho ser negado em uma faculdade. “Joshua se inscreveu para algumas das faculdades onde a farsa ocorreu e ele não entrou”, alegou ela em documentos obtidos pelo “Deadline”.

A polêmica teve início quando o governo dos Estados Unidos descobriu uma esquema que se passava por fundação de caridade que lavava dinheiro vindo de supostas doações milionárias, usadas para compra de vagas.

O alvo eram instituições de ensino bastante conceituadas como Yale e Stanford. Os envolvidos investiam, em média, quase R$ 1 milhão. Contudo, algumas pessoas já teriam gastado mais de R$ 15 milhões no esquema.



A atriz de “Três é Demais” teria desembolsado mais de R$ 1,5 milhão para o ingresso das duas filhas na Universidade do Sul da Califórnia. A famosa só deixou a prisão após pagar fiança de quase R$ 4 milhões.



Já a artista de “Desperate Housewives”, casada com o também ator William H. Macy, teve fiança fixada em cerca de R4 1 milhão. Os dois teriam ‘doado’ cerca de R$ 57 mil para que a herdeira fosse aprovada no vestibular.