© TV Globo

Atores da Globo negam racha no elenco por divergências políticas

Os atores de “O Sétimo Guardião” – substituta de “Segundo Sol” – trama das 21h da TV Globo – negaram que haja um racha na classe artística por conta de divergências políticas. Durante o lançamento da novela, na última quinta-feira (8), no Rio de Janeiro, parte do elenco comentou os boatos sobre o assunto.

VOCÊ VIU? Atitude de Fátima Bernardes decepciona plateia do “Encontro”

Ex de Anitta posta mensagem romântica e se declara a modelo americana

Polícia acha drogas ao cumprir mandado em produtora de MC Gui

Deborah Secco diz quanto ganhou para cortar o cabelo em “Sol”

“Isso não existe e nunca existiu. Todo mundo se conhece e se respeita. Você pode não concordar com um ou outro pensamento, mas apontar o dedo, jamais. E tem mais: Quem hoje em dia recusa um trabalho? Quem fecha uma porta? Só louco mesmo”, afirmou Paulo Betti ao “Uol”.

Tony Ramos, também fez questão de defender defendeu o livre arbítrio das pessoas. “Cada um tem o direito de apoiar um candidato A ou B. Eu nunca subi em um palanque, nunca fui partidário e é muito fácil alguém vir e me acusar de ‘ser em cima do muro’, mas eu sou um ser político, que não uso a minha notoriedade para fazer política”, comentou.

Dan Stulbach, por sua vez, garantiu que não percebeu nenhum comentário sobre a divisão entre os artistas: “Se isso está acontecendo, que seja passageiro. Intolerância em qualquer situação já não cabe mais”.

Vale lembrar que de acordo com o colunista Ricardo Feltrin, famosos ditos de “esquerda”, estão pressionando colegas acima e abaixo na hierarquia a se recusar a trabalhar ou deixar de convidar ex-colegas que declararam apoio Jair Bolsonaro,  eleito pelo Partido Social Liberal.

Atores e atrizes que estão sendo chamados para as próximas produções do canal exigem saber antes quem serão os colegas de elenco. Dizem que não querem contracenar com “fascistas”.