Autor de ataque racista contra Titi deve ser preso em breve


  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Divulgação
  • © Instagram
  • © YouTube
  • © Instagram
  • © AgNews
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Manuela Scarpa/Brazil News
  • © Instagram
  • © Divulgação/Gshow
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Manuela Scarpa/Brazil News
  • © Instagram
  • © Snapchat
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © AgNews
  • © TV Globo
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram


O caso de racismo envolvendo Titi, filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, ganhou um novo episódio. Após o ator prestar queixa em delegacia do Rio de Janeiro, a polícia já está em vias de identificar os responsáveis por publicar mensagens preconceituosas sobre a garotinha na internet.

VOCÊ VIU? Justiça quebra sigilo de ‘haters’ da filha de Gagliasso

A detenção dos criminosos pode ocorrer nos próximos dias. O autor do ataque racista, aliás, pode pegar de um a quatro anos de prisão, segundo a colunista Keila Jimenez.

Após os episódios nada agradável para os atores, a pequena Titi, de 3 anos de idade, recebeu homenagens nas redes sociais. Algumas pessoas fizeram desenhos fofos da menina e mandaram mensagens de carinho e apoio ao casal.

Entenda o caso

Titi foi vítima de racismo após Giovanna publicar uma foto da menina no Instagram.

“Você e seu marido até que combinam. Mas a criança que vocês adotaram não combinou muito. Porque ela é pretinha e lugar de preto é na África”, disse um usuário do Instagram, cujo perfil já foi excluído.



Close sidebar