CR7 nega ter estuprado americana; caso será reaberto nos EUA


© Instagram


Cristiano Ronaldo voltou a ser investigado em um caso de estupro registrado em 2009 pela polícia de Las Vegas, nos Estados Unidos. O jogador de futebol é acusado de ter abusado sexualmente de Kathryn Mayorga, mas voltou a declarar sua inocência.

VOCÊ VIU?  Bruno Chateaubriand pede namorado em casamento

Anitta causa alvoroço na web ao comentar foto de rapaz sem camisa

Emissora dará cruzeiro pelo Caribe com apresentadores do “Irmãos à Obra”

Viúva de Mr. Catra faz desabafo e se declara ao cantor na web

A revista alemã “Der Spiegel” revelou o processo no ano passado e trouxe à tona o assunto novamente no último fim de semana, ao publicar uma entrevista com a suposta vítima. De acordo com a moça, um acordo de silêncio foi assinado na época do crime.

A rede “CNN” detalhou que a moça foi convidada para uma festa em um quarto de hotel, com outras mulheres, e teria sido violentada enquanto gritava “não”. Na época, o atleta teria pedido desculpas a ela, dizendo que “geralmente era um cavalheiro”.

O acordo extrajudicial entre as partes foi de aproximadamente R$ 1,5 milhão, na cotação atual do dólar. Contudo, a ação agora prevê a anulação do pagamento, que teria comprado o silêncio de Mayorga durante estes anos.

Na web, CR7 avaliou as notícias como falsas. “Eles querem se promover usando meu nome. É normal, eles querem se tornar famosos com o meu nome, é parte do meu trabalho, mas eu sou um homem feliz e está tudo bem”, postou no Instagram.



Close sidebar