Ex nega agressões a Tom Veiga e rebate acusação de envenenamento


© Instagram


Cybelle Hermínio da Costa, terceira mulher de Tom Veiga, usou as redes sociais, nesta quarta-feira (7), para negar as acusações que surgiram contra ela nos últimos dias. Abalada, a moça garantiu nunca ter agredido o ex-marido, de quem se separou em setembro do ano passado, e ainda comentou o boato de que o intérprete de Louro José teria sido envenenado.





LEIA TAMBÉM: Mariana Goldfarb relata momentos de terror ao ser seguida na rua

Tiago Leifert interrompe noite de eliminação para dar aula de racismo a Rodolffo

Após ter perdido 2 filhos, influenciadora dá à luz gêmeos, mas um morre

Arthur acredita que fará história no BBB 21: “Eu vou ser lembrado”

“Minha relação com Tom sempre foi muito carinhosa e amorosa. Nunca houve nenhum tipo de violência de nenhuma das partes. A gente tinha briga normal, como todo casal, mas nada que fugisse do controle”, afirmou.

Acerca do rompimento com o artista, Cybelle relatou: “Houve uma briga de um casal, como qualquer outra, em meio a uma pandemia, e eu fui para a casa da minha mãe respirar um pouco. Nunca houve data de assinatura de divórcio”.

Sobre os áudios e fotos veiculados pelo jornal “Extra”, em que Tom fala da agressão sofrida por parte da então esposa e exibe as marcas no corpo, e a suposta desconfiança da família e amigos de Veiga de um possível envenenamento como causa de sua morte, ela assegurou: “Então, diante disso, de envenenamento… É um absurdo o que estão falando. Nunca houve nada disso. Desconheço completamente aquelas marcas e fotos que estão sendo circuladas nas mídias”.



E encerrou: “Nunca houve nada disso, tanto que não tem B.O. registrado, não tem medida protetiva, não tem corpo de delito. Eu confio na lei, na Justiça e no laudo do IML”, finalizou.



Ao seu lado no vídeo compartilhado na web, Edson Sobrinho, advogado da ex-esposa de Tom Veiga, comentou a respeito do testamento deixado pelo artista. “Estamos trabalhando no caso para trazer a verdade processual e proteção jurídica a todos os interessados, inclusive os filhos. Temos que ter uma atenção especial com os filhos, não só com a Cybelle. Por isso, o processo corre hoje em segredo de Justiça. Tem uma atenção no Ministério Público, que também vai ajudar na apuração de todas essas alegações que estão vindo na mídia.”

O profissional ainda reclamou das notícias veiculadas pela imprensa. “Mas o que a gente não pode concordar é com tudo que vem sido veiculado, que só vem trazendo mais sofrimento, tanto para a Cybelle, quanto para os filhos dela. Essas alegações que estão sendo feitas: de exumação de corpo, de forçação de casamento através de doação de bens, nunca houve isso. Isso tudo vai ser analisado dentro do processo”, ressaltou.

Tom Veiga morreu em 1 de novembro de 2020. Segundo o laudo da necropsia, a causa da morte foi um Acidente Vascular Cerebral hemorrágico, em decorrência de um aneurisma.