Ex-Polegar pede ajuda: “Antes que eu cometa suicídio”


  • © Record
  • © Facebook
  • © Record
  • © Divulgação
  • © Facebook
  • © Facebook
  • © Facebook
  • © Facebook
  • © Arquivo Pessoal
  • © Arquivo Pessoal


Durante o “Hora do Faro”, da Record, deste domingo (9), Ricardo Costa, ex-integrante do grupo Polegar, revelou que tem passado por dificuldades financeiras e que já acumula dívidas com bancos, pensão dos filhos, padarias, amigos e fãs.





VOCÊ VIU? Globo deve suspender salário gordo de José Mayer

“BBB17”: Internautas pedem expulsão de Marcos; entenda

Lázaro admite que deu presente de Tais Araújo para outra

Marcos encurrala Emilly e esfrega o dedo na cara da sister

“[Eu preciso de ajuda] faz tempo. Pensão atrasada, aluguel atrasado, e não é porque eu não trabalho. Sim, trabalho de segunda a segunda, mas as coisas infelizmente acontecem […] [De tudo o que ganhei no ‘Polegar’], não sobrou nada. As dívidas apertaram de uns seis anos para cá. E de tudo, o que mais me preocupa é a pensão, porque é a única coisa que dá cadeia nesse mundo”, disse ele, que é pai de quatro filhos.

O famoso contou que a única opção para aumentar o lado financeiro foi colocar à venda o ônibus que transformou em uma lanchonete, atualmente avaliado em cerca de R$ 110 mil.

“Estou vendendo para honrar as dívidas, e principalmente as duas pensões. Eu já fui intimado e a qualquer momento eu posso preso”, completou.



Ricardo virou assunto no dominical depois de mandar um áudio para a produção da atração pedindo ajuda.



“Sou honesto, sou trabalhador, e faço de tudo para viver com dignidade. Mas os meus problemas e as minhas dívidas já se arrastam por alguns anos. Não sei mais o que fazer. Tenho fé, feito um pedido diariamente a Deus para que abra os meus caminhos e me ajuda antes que eu cometa alguma loucura ou até mesmo um suicídio”, dizia mensagem.

Vale lembrar que em 2014, Costa já havia pedido ajuda financeira para os amigos por meio das redes sociais dizendo que seria despejado da casa onde morava em Taubaté.

Na época, o músico arrecadou cerca de R$ 1.120, recebeu outros R$ 3 mil de amigos próximos e pagou o aluguel de R$ 1.700 da casa em que vivia sozinho.