Fabiana Karla torce pela criminalização da gordofobia


© Instagram


Após criticar um vídeo, considerado gordofóbico, do “Porta dos Fundos”, no Youtube, Fabiana Karla voltou a lamentar o preconceito que pessoas com sobrepeso ou obesas sofrem na sociedade atual. A atriz destacou a importância da representatividade, revelando as mensagens que recebe quando posa para alguma capa ou aparece na televisão. Além disso, ela pediu que a gordofobia seja considerada um crime.





VOCÊ VIU? Bianca Andrade retorna ao Youtube e entrevista Pabllo Vittar

Larissa Manoela garante que não fará cenas de sexo em novela

Adriano Imperador critica ex-noiva: “É muito falsa”

Silvio Santos deve voltar a gravar no SBT apenas em 2021

“Homens e mulheres do meu tamanho têm dificuldade em macas de hospitais, em cadeiras de aviões. Muitos acessos são negados. Espero que criminalizem a gordofobia. A hora que doer no bolso, as pessoas vão se segurar mais. Reconheço que algumas grifes vem se esforçando de um tempo para cá. Mas as etiquetas de moda precisam ser mais inclusivas. Seguir, pelo menos, o exemplo de marcas dos Estados Unidos, que produzem o 5X. Quando sou capa de revista, as meninas se sentem representadas. A Central de Atendimento ao Telespectador (CAT) também recebe milhares de mensagens para saber da onde são as roupas que uso no “Se joga”. Tudo isso gera em mim uma responsabilidade imensa”, afirmou a atriz, em entrevista ao jornal “O Globo”.

Fabiana Karla disse como foi a sua reação ao assistir ao vídeo do “Porta dos Fundos”. A atriz afirmou que não podia ficar calada ao se deparar com um conteúdo tão ofensivo.

“O vídeo foi um soco no estômago. O Fábio (Porchat) é um querido, mas erraram a mão. Durante a quarentena, existem relatos de mulheres que apanham do marido por terem engordado. A gente está lutando para sobreviver. Pensei: ‘Por que vou deixar descoberto o meu lugar de fala?’. Me senti ecoando a voz de milhares de pessoas”, contou.