Filha mais velha de Latino vai à justiça por pensão retroativa


© Instagram


A filha mais velha do cantor Latino, Dayanna Maia, de 24 anos, entrou na justiça com um pedido retroativo de pensão alimentícia desde 2018. O valor pedido pela jovem chega a R$ 400 mil.





VOCÊ VIU? Flávia Pavanelli descobre doença e se afasta da web

Veja famosos que deixaram o Brasil para viver em outro país

Pabllo Vittar divulga evento de Halloween com 18h de duração

Adriane Galisteu revela três sonhos de Ayrton Senna

Latino disse à coluna de Fábia Oliveira que quando a filha fez 18 anos havia conversado com a garota que iria parar de pagar a pensão porque tinha outros filhos menores que precisavam mais de pensão, mas que não deixaria de ajudá-la se precisasse.

Por conta do processo, a colunista revelou que o cantor teve sua conta bancária bloqueada. “Sempre houve diálogo com ela. Dayanna é uma menina que eu amo. Eu a via todo mês. De dois anos pra cá ela sumiu. Não me atende mais, não me liga no Dia dos Pais. Descobri o motivo quando a Justiça levou R$ 44 mil da minha conta além de ter bloqueado os meus direitos autorais. Fiquei sem acreditar. Achei que se tratava de um processo trabalhista. Acionei meu advogado e então ele viu que era um processo da Dayanna contra mim”, revelou o cantor para “O Dia”.

Quando Latino se separou da mãe de Dayanna, Izabel, ele assinou um acordo de que pagaria três salários mínimos para a filha até que fizesse 24 anos.



Ele ainda contou ao veículo que chegou a comprar um apartamento para jovem quando se casou novamente, mas que ficou endividado e não conseguia mais pagar as parcelas do imóvel. “A dívida era minha e da Izabel, mas eu fiz um acordo com o fundo habitacional do exército e assumi sozinho a dívida, que era de R$ 900 mil por conta dos juros. Tirei a mãe dela desse pepino e achei que elas estariam me amando por isso, mas vejo que de nada valeu”.



Dayanna trabalha no restaurante do padrasto e também é atriz, segundo informou o pai.

“Durante a pandemia, eu tentei um acordo. Disse que poderia voltar a pagar a partir de janeiro de 2021. Eu não estou trabalhando e o rendimento caiu muito. Eu dependo da aglomeração para ganhar dinheiro”, lembrou Latino.

A jovem afirmou ao veículo que desconhece o processo.