Hugo Gross nega ter pedido agressão à ex: “Tem testemunhas”


  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram
  • © Instagram


Uma polêmica daquelas tomou conta da vida pessoal de Hugo Gross. Ex-namorada do ator, Jéssica França, garante ter sido agredida a mando dele, pelos porteiros do prédio onde o artista mora. Assustado com a repercussão do caso, nesta quinta-feira (1) Gross não só negou a história como acusou a modelo de armação.

VOCÊ VIU? Douglas nega ter batido em Rayanne: “Nunca houve agressão”

“Não tenho poder disso. Tem imagens de câmeras em que ela aparece quebrando o condomínio inteiro. Tem todas as gravações dela! Ela se jogando no chão, querendo se mutilar. Ela que se mutilou. Está gravado e tem testemunhas”, afirmou Hugo ao “Ego”.

Depois de dois anos juntos, o ator contou que decidiu terminar o relacionamento com a moça ao descobrir que ela trabalharia como garota de programa. Daí a proibição de que Jéssica subisse ao seu apartamento, em um condomínio localizado em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro.

“Não quero estar envolvido com pessoa desse porte. Ela insistia em morar junto. Gostei dela, achei que fosse equilibrada, bacana. Agora querer invadir condomínio às 3h da manhã, não tem condições. Não posso levar fama de bad boy, não sou. Tenho filho, sou ator, faço parte de uma instituição. Ela não avisou [que iria até lá]. Estava proibida de entrar. Foi entrando, nem pediu”, relatou.

Em sua defesa, Hugo diz ter registros em vídeo do momento em que a ex teria armado a confusão e que só ficou sabendo do caso no dia seguinte.

Já Jéssica alega que tudo aconteceu após uma crise de ciúmes do rapaz, depois de eles saírem para almoçar em um restaurante da região. Quando voltou ao apartamento, ela foi impedida de entrar e ainda contou ter ouvido ameaça do vigia: “Ele [Hugo Gross] mandou meter a porrada nela e botar para fora do condomínio”, garantiu.

Após prestar queixa em uma delegacia de violência contra mulher, a modelo também fez o exame de corpo de delito em um hospital. O caso seguirá em investigação na 42ª DP do Recreio dos Bandeirantes.



Close sidebar