Jorge Fernando terá museu na Ilha de Paquetá, no RJ


© Divulgação


O diretor Jorge Fernando, que morreu aos 64 anos, em outubro do ano passado, após uma parada cardíaca, vai ganhar um museu em sua homenagem na Ilha de Paquetá, no Rio de Janeiro. A irmã do diretor, Maria Rebello, contou que já começou a olhar imóveis na cidade para ser a Casa de Arte Jorge Fernando.





VOCÊ VIU? Ricky Martin afirma “não ser fácil” morar nos Estados Unidos

“Amor de Mãe” volta a ser gravada em agosto

Demi Lovato está noiva de Max Ehrich: “Me sinto tão amada”

“Malhação: Transformação” é adiada para abril de 2021

O museu reunirá o acervo do diretor, além de oferecer cursos e palestras à população. Porém, ainda não há data para a abertura.

“Veio a pandemia e demos uma parada no projeto, mas agora retomei essa vontade do Jorge. Ele que me deixou esse legado e estou fazendo com o maior amor do mundo, é uma forma de movimentar minha emoção. Estou na fase de procurar o imóvel. Ontem fomos até Paquetá, eu, minha filha, a Valéria Macedo, minha sócia e amiga, e o Crispim, que é o motorista dele, que era a pessoa que tinha mais contato com o Jorge. E ele virou a nossa família. Ele vai ficar tomando conta do imóvel e será o curador da Casa de Arte Jorge Fernando. A casa é sem fins lucrativos. A ideia é perpetuar o Jorge em Paquetá, que era o lugar preferido dele. Ele ia para lá criar. E as cinzas dele e da minha mãe foram jogadas lá”, contou em entrevista à “Quem”.

Maria revelou também que o acervo do irmão conta com objetos, figurinos, roupas e trabalhos dele. “A casa dele era um parque de diversões, dava para visitar (risos). E a Casa de Arte vai ser aberta à visitação. Também pretendo ministrar cursos de arte e quero fazer um palquinho para montar pequenos espetáculos de poesia, música. Quero que cheire à arte, como ele, que era movido à arte. E escolhemos Paquetá porque é onde ele e minha mãe estão”, afirmou.