Marcos Mion lança livro em homenagem a filho autista


  • © Instagram
  • © Divulgação/Record
  • © Instagram
  • © Record
  • © Record
  • © Record
  • © Instagram
  • © Record


Não é segredo para ninguém a paixão que Marcos Mion tem por sua família. Carinhoso, o apresentador resolveu se lançar na literatura para homenagear seu filho mais velho, Romeo, de 11 anos, que tem autismo. Em “A escova de dentes azul”, o papai coruja retrata a simplicidade do mundo vista sob os olhos do primogênito.

VOCÊ VIU? Plágio? Marcos Mion alfineta SBT: “Começaram a copiar mesmo”

“Ele exige que eu seja a minha melhor versão todos os dias. Posso estar errado, mas acho que [o diagnóstico de autismo] só serve para rotular e travar. De mim e da mãe [Suzana Gullo], ele recebeu amor incondicional. E sempre contou com nossa paciência. Em geral, o autista vai se fechando no próprio mundo, se isolando, mas conseguimos quebrar muitas dessas barreiras com nossas atitudes. Eu o abraçava até que parasse de se debater e reclamar, fazia com que ele olhasse dentro dos meus olhos. Hoje, isso é natural para ele”, disse à “Cláudia”.

O nome da obra, por exemplo, foi inspirado em um presente que o menino pediu para o Papai Noel no Natal do último ano. Seus irmãos mais novos, Donatella, de 7 anos, e Stefano, de 7, também não têm qualquer dificuldade para conviver com o garoto. “Chegou um momento em que tive de explicar para eles, mas não queria que fosse uma conversa formal, séria. Aí fiz uma analogia com super-heróis. Disse que Romeo tinha dons que nós não temos, que ele consegue se comunicar com a natureza e que é por isso que se sente tão pleno em ambientes externos. Eles acharam o máximo”, relembrou, orgulhoso.

Há poucos meses, Mion passou por um susto daqueles ao lado da esposa, Suzana, que enfrentou um câncer de mama, mas ele garante: a situação só fortaleceu ainda mais os laços entre eles.

“Essa família do comercial de margarina não existe. De repente, fomos arrebatados pela realidade: tivemos um filho autista. Os desafios continuaram vindo e lutamos juntos. Suzana acaba de vencer uma batalha, foram muitas crises, mas a diferença é que sempre optamos por deixar o amor vencer em vez de nos separarmos. A família é nosso alicerce; então, resolvemos sair mais fortes de cada dificuldade. Ela me atrai e a amo infinitamente mais do que quando ela tinha 20 e poucos anos, toda bronzeada e com a barriga chapada”, derreteu-se.



Close sidebar