Meghan Markle revela que sofreu aborto: “Dor insuportável”


  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Getty Images

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Divulgação

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Divulgação

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Instagram

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.

  • © Divulgação

    Em um artigo para o “The New York Times”, Meghan Markle revelou que estava grávida e sofreu um aborto espontâneo recentemente, em meados de julho deste ano. Segundo a Duquesa de Sussex, o sentimento foi de “uma dor quase insuportável”.

    VOCÊ VIU? Morre Seu Francisco, pai de Zezé di Camargo e Luciano

    Beyoncé lidera indicações ao Grammy 2021

    Elenco de “Órfãos da Terra” comemora conquista do Emmy 2020

    Gisele Bündchen e marido alugam casa de R$ 407 mil mensais

    “Eu sabia, enquanto agarrava meu primogênito, que estava perdendo o meu segundo filho”, disse Meghan, frisando que a perda e a dor atormentou os atormentou neste ano.

    De acordo com o artigo, ela explicou que em uma manhã de julho, ela sentiu uma cãibra muito forte, e que horas depois, já hospitalizada, “vi o coração do meu marido se partir enquanto ele tentava recolher os meus pedaços”.

    “Perder um filho significa carregar uma dor quase insuportável, vivida por muitos, mas mencionada por poucos. Na dor da nossa perda, meu marido e eu descobrimos que em um quarto com 100 mulheres, 10 a 20 delas sofreram aborto espontâneo. No entanto, apesar da impressionante semelhança dessa dor, a conversa permanece um tabu, repleta de vergonha (injustificada) e perpetuando um ciclo de luto solitário. Algumas tem corajosamente compartilhado suas histórias; elas abriram a porta, sabendo que quando uma pessoa fala a verdade, isso dá licença para todas nós fazermos o mesmo”, disse ela no artigo.

    A Duquesa de Sussex decidiu falar abertamente sobre o assunto para encorajar as pessoas a “se comprometerem a perguntar aos outros: ‘Você está bem?'”, durante o feriado de Ação de Graças.

    O duque e a duquesa renunciaram ao cargo na realeza britânica e se mudaram neste ano para a Califórnia para viver longe dos holofotes da mídia. Meghan e o Príncipe Harry tiveram seu primeiro filho, Archie, em 6 de maio de 2019.