Natália Sarraf aponta problema de Chimbinha com bebidas: “Funcionários eram ameaçados de morte por ele”


© Instagram


Natália Sarraf disse que nem tudo o que Chimbinha fez com Joelma durante os 21 anos em que estiveram casados foi divulgado na imprensa. Segundo a cantora, que é filha da vocalista da banda Calypso, o guitarrista bebia e ficava agressivo.





“Ele chegou a ameaçar o segurança da minha mãe de morte com uma faca grande de pão. Ele falou: ‘Eu te mato, eu mato ela e depois me mato’. Isso de ele ser violento não é novidade para ninguém que o conhece de perto. Funcionários da banda eram ameaçados de morte por ele também'”, declarou ao “Ego”.

A enteada ressaltou, entretanto, que o músico não chegou a agredir sua mãe. “Ele no dia a dia, sem bebida, era normal. Mas bebeu, ficava violento”, lembrou.

E continuou: “Vi isso várias vezes de ele ficar violento, ameaçar quem estivesse perto e cruzasse o caminho dele. De beber e quebrar todos os pratos e copos da casa. Ele não chegava a ameaçar minha mãe porque se ele fosse para cima dela ela ia para cima também”.



A artista acredita que sua mãe não aceitará tão facilmente o possível retorno do ex à banda. “Ela conta que está numa guerra, mas o mais importante para ela é a paz e ela está em paz. Quando ainda estavam morando juntos era complicado. Ela tentou negociar com ele de ficar com a banda e ele sair. Mas ele não quer. Só que se ele voltar, ela sai e pronto.”



Após fazer as pazes com Joelma, a Natália ainda revelou que já foi convidada para cantar no Calypso anos atrás. Ela explicou que se tratou de um “convite interno, informal”, em uma época em que o grupo enfrentava problemas com um cantor de apoio.

“Não parava ninguém no cargo, era cantor entrando e saindo, entrando e saindo. Aí falaram de me colocar para cantar, mas eu não quis. Eu não quis. Sabe quando você recebe uma notícia ruim, de algo ruim? Foi assim que eu me senti. Falei: ‘Mãe, não estou bem com essa decisão, não vou’. Eu sempre pensei em ter meu trabalho, fazer do meu jeito. Não queria ficar perto dele [Chimbinha]. Melhor não me envolver, me misturar. Minha mãe entendeu, mas ele ficou chateado. Preferi seguir sozinha mesmo”, relembrou.