Paulo Betti comenta acusação de racismo: “Pegou mal”


© TV Globo


Paulo Betti falou sobre a acusação de racismo que recebeu de Milton Gonçalves. O ator foi processo pelo colega, que afirmou ter sido vítima de preconceito enquanto disputavam o cargo de diretor do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Rio de Janeiro, o SATED.





VOCÊ VIU? Anitta e Pedro Scooby se separam após três meses de romance

Cleo rebate seguidores após ser chamada de “gorda”

Rodrigo Bocardi revela aversão inusitada na TV: “Fresco”

Filho de Chaves vai às lágrimas ao ver musical sobre seu pai

“Esse assunto é muito grave para ser usado durante o período eleitoral. Pegou mal porque é uma acusação muito forte”, disse em entrevista ao “TV Fama”.

O famoso ressaltou que, apesar da polêmica, tem total noção social a respeito do assunto. “Eu fui acusado de ser racista, sendo que eu tenho uma história inteira ligada ao quilombo onde eu fui criado. Se eu não fosse vacinado e devoto do preto velho João de Camargo, uma acusação dessa podia acabar comigo”, pontuou.

Segundo Betti, a confusão teria acontecido por causa da competição, já que ele não teria falado nada de tom preconceituoso. “Se o Milton, um homem de 80 e poucos anos, diz que eu sou racista, podia acabar com minha vida, minha carreira. É uma entidade, que tem uma história, um homem forte. Isso foi utilizado durante a disputa pelo sindicato. Mas deixa rolar, graças a Deus eu sou vacinado para essa questão”, completou.