“Precisei morrer para acordar”, diz Demi Lovato sobre drogas


© YouTube


Em trecho do documentário “Dancing With The Devil”, exibido pela CBS, a cantora Demi Lovato contou alguns detalhes sobre a overdose que sofreu em 2018. Ela relatou que foi encontrada quando tinha apenas de 5 a 10 minutos de vida e que teria morrido se o socorro não acontecesse a tempo.





VOCÊ VIU? Lumena se desculpa e avisa: “Pronta para mudar o itinerário”

Bruno Gagliasso estreia na Netflix em série “Santo”

“Gato de Botas” terá sequência com Antonio Banderas

“Todo Mundo Odeia o Chris” terá reboot em versão animada

“Eu precisei morrer para acordar”, disse Demi. Aproximadamente três meses antes da overdose, a cantora chegou a usar diversos tipos de drogas, misturando metanfetamina, MDMA, cocaína, maconha, álcool e oxicodona.

Outra revelação da artista foi que ela foi estuprada pelo traficante que a levou drogas naquele dia. A overdose resultou em três derrames, uma parada cardíaca, falência de órgãos, pneumonia por ter asfixiado em seu vômito e uma perda de visão temporária, porém, com sequelas permanentes, que não a permitem mais dirigir, por exemplo.