Ricky Martin afirma ser “alvo” de preconceito nos EUA


© Instagram


Os inúmeros protestos nos Estados Unidos fizeram Ricky Martin se posicionar sobre o tema. Além de postar vários conteúdos contra o racismo em seu Instagram na última semana, o cantor afirmou ser alvo de diversos preconceitos no país norte-americano, por ser latino, homossexual e casado com um homem árabe, Jwan Yosef, de origem síria e nacionalidade sueca. Ele, entretanto, afirmou que a sua rotina de trabalho o acaba, de certa forma, blindando.





VOCÊ VIU? Lulu Santos anuncia live para o Dia dos Namorados

Confira grandes vilãs das principais novelas brasileiras

Léo Santana anuncia live “Baile da Santinha Sunset”

Atriz de “The Big Bang Theory” diz que não assistiu à série

“Eu vivo o preconceito todos os dias. Não de forma tão exposta porque vivo em casa, tranquilo, e saio daqui direto para trabalhar. Mas vivemos aqui (nos EUA) e escutamos as histórias, sentimos. Descer do carro para tomar um café pode ser perigoso”, afirmou o cantor, em entrevista ao programa de TV “Suelta la Sopa”.

“Veja, eu sou um homem latino, homossexual, casado com um homem árabe e vivendo nos Estados Unidos. Ou seja, eu sou uma ameaça para esta gente (preconceituosos), de certa forma”, completou.

Ricky Martin vive com o marido e os quatro filhos em uma mansão em Los Angeles, na Califórnia. O famoso disse que, quando mais jovem, não acreditava que os Estados Unidos tinham um preconceito tão latente.  Para o porto-riquenho, o país precisa de mais amor para por fim a esse problema.



“Eu não cresci pensando que os EUA eram assim. Mas os EUA já eram assim. O que acontece é que agora temos câmeras e podemos ver (o racismo). Nós, como cidadãos, podemos gravar a injustiça e nos enojar. Eu ensino aos meus filhos sobre o amor. Em casos como este, temos de falar de amor. Temos de falar de amor. Não importa a quem você ame, não importa de onde venha, sua classe social, sua cor de pele… O que adoece é ter de falar isso. Parece mentira que tenhamos de falar disso em 2020 nos EUA”, lamentou.