Ronaldo Ésper afirma que homossexualidade foi maldição de tia


© Divulgação


Ronaldo Ésper cedeu uma entrevista um tanto quanto controvérsia ao “Pânico”, da Rádio Jovem Pan, na última quarta-feira (19). Polêmico, o veterano afirmou com todas as letras que não é mais homossexual.





VOCÊ VIU?  Ratinho debocha de Pabllo e Thammy: “Como regular um país desse?”

Aos 61 anos, morre a compositora de Roberto Carlos

Fiuk é flagrado em clima de romance com repórter do “Domingão”

Equipe de Simone & Simaria desmente rumores de fim da dupla

“Eu fui interpretando o que falavam e eu achei melhor me abster dessa vida. O termo ex-gay não é legal, mas tem gente que era e se casou com uma mulher. Minha vida está bem melhor”, disse o famoso, que agora é devoto da Igreja Universal do Reino de Deus.

O estilista acredita que gostava de homens por causa da maldição de uma tia e que só descobriu isso com a ajuda dos representantes do templo. “Eles consideram isso como uma maldição na família. Você também pode ser amaldiçoado por alguém, que foi o meu caso. Eu estava me afogando, ela me jogou na piscina. Ela não gostava de mim, já era homofóbica desde sempre”, destacou.

Apesar da situação e de todas as críticas que tem enfrentado, principalmente por parte do público LGBT, Ésper garantiu estar muito bem resolvido. “Eu passei a vida inteira homossexual, talvez por causa dessa maldição, mas eu não gostava disso. Eu gostava da farra, daquela coisa toda. Era uma coisa fascinante. Até as pessoas que não eram gays, acabavam entrando no embrulho”, completou.