Sammy Lee revela compulsão alimentar: “Comendo até passar mal”


© Instagram


A influenciadora digital Sammy Lee afirmou, nesta terça-feira (15), que está enfrentando uma compulsão alimentar. Em um longo desabafo nos Stories de seu Instagram, a esposa de Pyong Lee comentou que os problemas surgiram por conta da mudança hormonal depois do nascimento de seu filho, Jake, de seis meses, somado a um período marcado pela pandemia do novo coronavírus.





VOCÊ VIU? Após rumores de término, Adriano Imperador posa com namorada

Globo encerra contrato com Antonio Fagundes após 44 anos

Elba Ramalho revela que está com coronavírus

Bruno Gagliasso fala sobre o “Surubão de Noronha”

“Tenho enfrentando ansiedade e compulsão alimentar. Estou tratando isso, fazendo terapia com uma psicóloga. Chegou ao ponto de eu chorar comendo, falando que não queria mais. Comia até passar mal, não conseguia parar. Descontava toda a frustração de estar de quarentena, essa angústia, essa ansiedade que eu não sei de onde vem. Isso é muito do mal, e é horrível sentir isso. Descontava tudo na comida, de uma forma que eu não conseguia controlar. Estava me fazendo muito mal”, contou a celebridade digital.

“Agora estou fazendo uma dieta um tanto quanto rigorosa, mas não é para perder peso, é só para controlar. Estou fazendo também hipnoterapia, mas para tratar também umas coisas muito mais profundas que aconteceram comigo quando eu era criança, de meu passado. Estou nesse processo de reconstrução. Cheguei ao ponto de falar ‘não dá mais para ficar do jeito que estou. Estou muito mal'”, completou a esposa de Pyong.

Sammy Lee contou que mudou alguns comportamentos nos últimos tempos. Segundo a influenciadora, essa alteração está aliada à ansiedade e à compulsão alimentar.



“Depois do parto, senti que não estava mais me amando. E olha que sempre gostei muito de me cuidar, fazer as coisas para mim. Eu me esqueci. Muitas vezes, é tanta perturbação que a gente não consegue ver as coisas boas. Eu tinha ficado assim. Virei uma pessoa ranzinza, que reclama de tudo, todos, e que nada está bom. Nunca fui assim, mas eu virei uma pessoa chata. Ficar com rancor das pessoas é um veneno que a gente bebe esperando que faça mal para o outro. Estou aprendendo a ter mais paciência. Porém, de uns tempos pra cá, me incomodava muito mais e, em vez de me expressar, guardava para mim, e acabava me corroendo”, finalizou.