Sandra de Sá conta sobre amizade com Tim Maia e Cazuza


© Divulgação


Sandra de Sá apresentou o novo episódio do podcast “Essenciais”, da Deezer, que traz nomes importantes da música brasileira para compartilharem suas histórias e revisitarem os processos criativos de seus discos. A carioca iniciou o episódio contando que seu caminho na música não foi algo planejado e que, anteriormente, seus esforços estavam mais focados em seus estudos na área de psicologia.

VOCÊ VIU? Relembre os clubes e os gols de Maradona na carreira

Cauã Reymond viverá usuário de drogas em “Um Lugar ao Sol”

Ícaro Silva narra audiobook de Harry Potter no Brasil

Confira o desfecho de Dominique, em “Salve-se Quem Puder”

“A vida inteira eu quis ser psicóloga. Desde criança. Eu acho a mente humana incrível. A gente tem um monte de bagulho aqui dentro”, comentou a artista.

Contudo, o destino tinha outros planos para Sandra que teve seus rumos mudados após uma apresentação no Festival da Nova Música Popular Brasileira de 1980. “Quem me jogou nessa parada foi a Fafy Siqueira. Ela me inscrevia em tudo que era festival e eu tava super preocupada com prova”, compartilhou Sandra de Sá ao relembrar sobre sua performance de ‘Demônio Colorido’. A artista comentou que na época mostrou resistência em participar, mas foi convencida por seus amigos a gravar uma fita cassete cantando a música que a levaria a ingressar no evento e que a tornou nacionalmente conhecida, possibilitando a gravação de seu primeiro LP.

Sandra também relembrou sobre a amizade com os ícones Cazuza e Tim Maia. “Na época da RGE [gravadora de discos] o Cazuza foi o meu divulgador. Nossa amizade não tem fim. Eu garanto que a gente se comunica até hoje”. Sobre Tim Maia, Sandra divide que o primeiro contato ocorreu graças a seu amigo Júnior Mendes, que apresentou a música “Vale Tudo” para Sandra em nome do cantor. “O Júnior pegou o telefone e disse ‘fala com ele aí’. Foi uma conversa incrível e ele falou que gravaria comigo”. Sobre ‘Eu Sempre Fui Sincero, Você Sabe Muito Bem’, seu álbum de 1998 em homenagem a Tim, Sá comenta que desejava mostrar para as pessoas o lado mais engraçado de seu amigo.

A cantora também revelou o motivo por trás da mudança em seu nome artístico de “Sandra Sá”, como usava anteriormente, para “Sandra de Sá”.



Close sidebar