Sthefany Brito relata dor na amamentação: “Vontade de chorar”


© Instagram


Sthefany Brito deu à luz seu primeiro filho, Antônio Enrico, no último dia 1º e desabafou que está sofrendo com a adaptação para amamentar o bebê. Na madrugada de quarta-feira (11), a atriz de 33 anos publicou um texto falando das dores que está sentindo nos mamilos.





VOCÊ VIU? Xuxa diz que envia “figurinhas safadas” para Angélica e Eliana

Bruno Cabrerizo estará na próxima novela das 19h da Globo

John Boyega temeu por carreira após “Black Lives Matter”

Virginia Fonseca conta detalhes do casamento com Zé Felipe

“Estou aqui no melhor lugar do mundo e também o mais desafiador…. Acabei de amamentar (estou aqui na luta, porque ainda está muuuuuito difícil e dolorido = vontade de chorar, mesmo!) não está sendo nem um pouco fácil…. Com toda ajuda que tenho tido fico pensando que acho que já teria desistido se não fosse o suporte que tenho recebido…”, começou Sthefany.

“Escuto todo mundo dizer: ‘acredita, vai passar’ e no desespero a vontade é de perguntar: ‘que dia? que horas extaamente?’. Sim, parece o fim do mundo! Parece que nunca vai passar. Que nunca vai parar de doer a cada pega dele no meu peito, em que eu viajo até a lua e volto! Eu queria muuuito esperar passar pra vir aqui contar minha experiência e no final também dizer: ‘acredita, vai passar!'”, ainda escreveu a mamãe de primeira viagem.

“Mas o atual momento ainda é esse de estar sendo bem difícil… Quis dividir isso com vocês, porque eu sou a prova do quanto romantizei a amamentação e todo o puerpério (como assim puerpério, você lá com seu filho nos braços e triste? E reclamando?). Já disse que tenho muito suporte, mas mesmo assim esse momento é nosso (eu e ele) e ao mesmo tempo que olho pra ele e me emociono. Meu Deus, ele é a coisa mais maravilhosa e perfeita e linda desse mundo, bate a culpa do nó preso na garganta”, completou ela.



Sthefany ainda continua no desabafo falando de como ela entende que existem muitas outras mães passando pelo mesmo drama que ela. “Enfim… aqui tem sido uma mamada de cada vez (um dia já é muita coisa!). E ‘sobrevivemos’ aos 10 primeiros dias (sim, me sinto chegando em primeiro lugar numa maratona em que corri 20 km). Que venham mais 10 e mais 10 e que no final eu sei que chegamos juntos (a mãozinha segurando meu dedo) a linha de chegada e eu vou colocar a medalha nele e em mim! Eu olho pra aquela carinha e pra boquinha esfomeadaaada e é isso que me motiva. Tudo por ele! Mamães nessa fase, vocês não estão sozinhas!”.



“Um dia volto aqui plena, com uma foto liiinda amamentando com a seguinte legenda: ‘acredita, vai passar!’. Mas por enquanto preciso tentar dormir um pouco enquanto ele dorme também, porque daqui a pouco tem uma boquinha esfomeada caçando meu peito”, finalizou.