“Vontade de desistir”, diz Cazarré após críticas em foto


© Instagram


Juliano Cazarré usou a sua rede social nesta terça-feira (23) para desabafar sobre os comentários que recebeu em uma foto. O ator postou um clique de máscara, fazendo fisioterapia em razão de uma lesão na coluna, e falou da rotina intensa em cuidar da casa e dos filhos na quarentena.





VOCÊ VIU? Rafa Kalimann refuta comparações com Grazi Massafera

Dalton Vigh aprova reprises de “Fina Estampa” e “O Clone”

Sabrina Petraglia anuncia gravidez e pode deixar “Salve-se”

Manu Gavassi e Ana Paula revelam quarto secreto no “BBB”

“Mais de cem dias de quarentena, muitas horas por dia cozinhando, carregando bebê no colo e trabalhando na casa… a coluna pifou. Precisei ir pra fisioterapia”, disse ele, que é pai de Gaspar, de 1 ano, de Vicente, de 8 anos, e Inácio, de 6, fruto do casamento com Letícia Cazarré.

No entanto, alguns seguidores do ator acharam que ele estava se vangloriando por algo tão comum na vida de muitas mulheres. Internautas também disseram que Cazarré estava usando a máscara errado, sem cobrir o nariz.

“Cazarré, você não tem ideia da quantia de mulheres que cuidam sozinhas do serviço de casa: cozinhando, lavando, passando, olhando filhos, fazendo compras e etc. Alguns marmanjos ainda dizem que é frescura quando elas reclamam que estão com dor na coluna. Uns ignorantes mesmo”, comentou uma seguidora. “É, ser dona de casa não é um trabalho fácil”, escreveu outra internauta. “Você é dona de casa? Eu não falei em lugar nenhum que é fácil, nada é fácil nessa vida”, respondeu Cazarré.



A confusão, com muitas pessoas discordando e até discutindo, não agradou o ator, que fez uma nova publicação.



“Minha cara olhando os comentários do meu último post. Os fiscais da máscara alheia. Os fiscais da fisioterapia alheia. Os comentários que tentam transformar tudo em uma guerra de sexos. Os que acham qualquer pretexto para posar de vítimas e arrotar virtudes que julgam possuir. E eu penso: ‘Vale a pena continuar aqui? Que vontade de desistir. Evitar estresse desnecessário. Evitar desgostos e mal-entendidos, acusações baratas e acusações maldosas. Que vontade de ficar quieto com meus livros. De apenas fazer meu trabalho e criar personagens para o divertimento do meu sempre respeitável público”, desabafou.

Ver essa foto no Instagram

Minha cara olhando os comentários do meu último post. Os fiscais da máscara alheia. Os fiscais da fisioterapia alheia. Os comentários que tentam transformar tudo em uma guerra de sexos, de cores, de classes. Os que acham qualquer pretexto para posar de vítimas e arrotar virtudes que julgam possuir. E eu penso: ⁣ ⁣ – Vale a pena continuar aqui? Que vontade de desistir. Evitar estresse desnecessário. Evitar desgostos e mal entendidos, acusações baratas e acusações maldosas. Que vontade de ficar quieto com meus livros. De apenas fazer meu trabalho e criar personagens para o divertimento do meu sempre respeitável público.⁣ ⁣ Não, eu não me acho necessário, muito menos insubstituível. Sei que não faria diferença encerrar a conta. O mundo seguiria seu curso implacável e eu seria só mais na maioria silenciosa. Mais um na espiral do silêncio. ⁣ ⁣ Mas a minha criação foi para a liberdade e a coragem. Os livros que leio me incentivam a não me calar, mesmo com prejuízo pessoal. A liberdade é o valor mais importante. A busca pela verdade é essencial. A Família precisa ser defendida – nenhuma sociedade saudável se faz sem a família como pilar e fudamento! Fé, Esperança e Caridade são virtudes que precisam ser reensinadas. Mesmo que seja por alguém como eu, dono de uma fé pouca, de uma esperança vacilante e de uma caridade tímida. Às vezes me sinto muito só, como um Quixote sem Sancho a lutar contra os moinhos. Por outro lado, também vejo cada vez mais, por aqui, gente defendendo esses valores em que acredito. E a esperança respira novamente, mesmo com a máscara sufocante do politicamente correto.⁣ ⁣ Então, eu decido ficar. Mais um dia. Mais um tempo. Porque, apesar da minha insignificância, qualquer voz que conclame os homens a serem bons maridos e bons pais, qualquer voz que clame por liberdade, qualquer voz que peça mais união e menos divisão, nesse momento, é uma voz fundamental. Boa terça-feira, galera.

Uma publicação compartilhada por Juliano Cazarré (@cazarre) em