Em show apenas satisfatório, Cidade Negra leva baladinhas ao Palco Mundo


© Márcio Cassol/ Famosidades


Abrindo o Palco Mundo na última noite do Rock in Rio, o Cidade Negra entrou em cena com os maiores sucessos da carreira da banda com o objetivo de animar o público, que esperava desde cedo para curtir, principalmente, o show da cantora norte-americana Katy Perry, que fecha o festival neste domingo (27).





Pela segunda vez no evento – o grupo se apresentou na edição de 2011 -, mas pela primeira no palco principal, a banda carioca iniciou o show com três hits logo de cara. “A Estrada”, de 1998, foi a primeira. Depois foi a vez de “Downtown”, do disco “Sobre Todas As Forças”, de 1994, e “Girassol”.

“Onde Você Mora?”, música do início dos anos 1990, animou o público e ganhou coro dos fãs. “A Sombra da Maldade” e “Pensamento” não ficaram fora do repertório do grupo brasileiro. “Firmamento”, outra canção muito conhecida, também teve seu refrão cantado pela plateia e com Toni Garrido indo até a grade próxima ao palco.

Ganhando um pouco os fãs de Katy, todo animado Toni fez um convite para a estrela internacional, enquanto cantava e dançava em “Firmamento”: “Katy Perry, se você puder, apareça para dançar um reggae aqui com a gente”.

Com a apresentação na metade, foi a vez de “O Êre”, faixa título do álbum lançado em 1996. Na sequência, em discurso breve de Garrido, o vocalista pediu o apoio do público antes de começar a cantar “Amor, Perdão e Amizade”, nova canção da banda. Em certo momento, disse: “Sejam generosos com a gente, levantem as mãos, vamos lá!”. Encerrou, claro, com um “muito obrigado”.

Ganhando coro dos fãs novamente, Toni puxou em seguida a música “Vamos Fugir”, de Gilberto Gil. Em seguida veio “Falar a Verdade”, de 1991. Ganhando novamente coro em alguns trechos, “Solteiro no Rio de Janeiro” ganhou performance já na reta final da apresentação.

“A Sombra da Maldade” foi a escolhida para fechar o primeiro show do grupo do Rio de Janeiro no palco principal do Rock in Rio. Foi uma boa opção para poder encerrar trazendo o público, que cantou novamente.

Apesar de ser uma das principais bandas do Brasil e com quase 30 anos de estrada na música, o Cidade Negra acertou ao incluir seus principais hits, mas não conseguiu fazer um mesmo show elétrico. O Palco Mundo, talvez, tenha ficado muito grande. O Sunset teria sido uma melhor opção.