Em show técnico, Nightwish vai bem no terceiro dia de metal no Sunset


© Márcio Cassol/ Famosidades


Com quase 20 anos de estrada, a banda finlandesa Nightwish subiu ao Palco Sunset, na Cidade do Rock, no início da noite desta sexta-feira (25). Com uma legião de fãs brasileiros, o grupo europeu era o mais esperado, mesmo não ficando com a responsabilidade de encerrar os trabalhos no palco secundário.

O vocalista finlandês Tony Kakko, do Sonata Arctica – outra banda querida no Brasil e que também começou no final dos anos 1990 -, foi o convidado especial para esta apresentação. Esse, inclusive, não foi o primeiro encontro entre eles. O cantor já gravou anteriormente com o Nightwish.

Com a entrada teatral da banda – que é uma das principais do chamado metal melódico -, o Nightwish começou seu show com “Shudder Before The Beautiful”, que faz parte do último álbum, intitulado “Endless Forms Most Beautiful”, e lançado neste ano.

Com boa presença de palco e poder vocal, a cantora Floor Jansen estava animada com a chance de se apresentar em um Rock in Rio. Em seguida puxou “Your Is an Empty Hope”, canção também presente no mais recente trabalho do grupo.

Voltando um pouco no tempo, a banda tocou “Wishmaster”, canção que leva o nome do disco lançado em 2000. Empolgada e sorridente, Floor terminou a performance soltando um “muito obrigada” para os fãs.

Porém, depois de voltar 15 anos, o Nightwish retornou ao seu último álbum e apresentou “My Walden”. Dispensando efeitos, mas compensando na técnica musical, o grupo empolgou o público desde o início. Como esperado, a banda escolheu um repertório voltado ao disco mais recente. Confirmado isso, “Weak Fantasy” veio na sequência.

Para quebrar um pouquinho, a cantora holandesa anunciou “Stargazers”, single que faz parte do segundo álbum da banda, o “Oceanborn”, que saiu em 1998. Floor saiu de cena e, após introdução do baixista Marco Hietala, Tony Kakko foi chamado ao palco para iniciar sua participação com “The Islander”, do “Made in Hong Kong (And in Various Other Places)”, de 2009.

Com Jansen de volta, Tony perguntou: “Está pronta para mais?”. Com os dois no palco, começou a penúltima música do show, “Last Ride of the Day”, do “Imaginaerum”, de 2011. Sem Tony, o Nightwish tocou “Ghost Love Score”, do disco “Once”, de 2004, e uma das canções preferidas dos fãs. Uma apresentação para cima, com energia e que correspondeu muito bem.



Close sidebar