Ex-“The Voice” ganha 35kg e vira ícone de empoderamento na web


© Instagram


Apresentada ao Brasil inteiro durante a edição de 2013 do “The Voice”, Aila Menezes, de 31 anos, pode ser vista com uma nova silhueta atualmente.





VOCÊ VIU? Solteira, Paolla Oliveira está saindo com funcionário da Globo

Caio Castro sobre foto de Grazi Massafera: “Horrorosa”

Jornalista confirma mudança de Anitta para os EUA em 2020

Mariana Goldfarb nega ‘climão’ com Alinne Moraes: “Admiro”

Após ganhar 35kg em decorrência da depressão, a cantora passou a ser referência de empoderamento feminino e ícone do body positive – movimento que prega um olhar positivo em relação à própria imagem.

A loira contou ter precisado se ‘entupir’ de remédios antes de conseguir dar a volta por cima. “Cheguei a tomar de 5 a 6 medicações por dia para conseguir viver. Tomava medicação para dormir, para acordar, para não sentir fome e, além disso, por ter tido o problema de distorção de imagem, ainda tomava remédios para emagrecer. Vestia 38 e achava que estava gorda”, relatou à “Quem”.

A artista disse ter feito uso de remédios para perder peso para conseguir se encaixar no ‘padrão’. “Infelizmente, existe essa pressão estética de que mulheres que não são magras não atingem seus objetivos profissionais, especificamente na música, na arte. Existe esse padrão estético e vivia dentro dele, vivia completamente enclausurada nessas ideias da cultura da magreza. […] Por isso, eu tomava, além das medicações por necessidade, remédios para emagrecer sem necessidade porque eu não conseguia me enxergar como eu efetivamente era.”



Sobre o ganho de peso, Aila admitiu ter ficado assustada no começo. Contudo, depois abraçou as novas curvas. “Logo no início, minha autoestima ficou ferrada. Me olhava no espelho e pensava: ‘Meu Deus, como controla esse peso?’ Pensava: ‘Preciso ter paciência comigo e com o meu corpo, ele está se adaptando a uma nova forma’. As pessoas são cruéis, elas falam: ‘Nossa, Aila, como você engordou’. Muitas vezes não queria sair de casa, parei de fazer show por um tempo e fiquei bem mal. Mas depois, quando comecei a ver que era minha história de vida, que saí de cinco depressões, da síndrome do pânico e consegui ficar sem tomar medicações e ser feliz, me senti orgulhosa. Venci o maior desafio e tenho que sentir orgulho.”



Atualmente, vale destacar, a cantora se prepara para lançar sua nova música, intitulada “Fat Gata” – “Gata Gorda” -, que fala do empoderamento das mulheres fora do ‘peso padrão’ estipulado pela sociedade.