Jovem Guarda conversa com anos 1980 em dueto de Erasmo Carlos com Ultraje no Rock in Rio


© Márcio Cassol/ Famosidades


Espaço dos encontros no Rock in Rio 2015, o Palco Sunset viu neste sábado a união de Erasmo Carlos com Ultraje a Rigor A apresentação fluiu como uma conversa informal entre a Jovem Guarda da década de 60 e a explosão do rock brasileiro dos anos 1980. No repertório, músicas que a maioria dos ouvintes de música pop com mais de 30 anos conhece de cor e salteado.

Erasmo voltou ao palco do Rock in Rio para celebrar as memórias de 1985. O “Tremendão” foi uma das figuras emblemáticas da primeira edição do festival, há 30 anos. Já o Ultraje de Roger Moreira participou da festa em 2001, quando dividiu o palco com o Ira!.

Veterano líder do Ultraje, Roger comandou a banda ao lado do baixista Mingau, do baterista Bacalhau e o guitarrista Marcos Kleine, formação que hoje em dia se apresenta no talk show de Danilo Gentile no SBT. E o grupo paulista mostrou estar bem ensaiado para executar o repertório de Erasmo.

Antes de começar, o irreverente Roger avisou a galera que estava para começar um show de “pop de raiz”. Então a parceria em cima do Palco Sunset foi aberta com clássicos de Erasmo, com “Terror dos Namorados” e “Minha Fama de Mau”.

Em seguida, sem Erasmo no palco, foi a vez de o Ultraje desfilar seus famosos hits dos anos 80, iniciando com “Inútil”. Na camiseta de Roger, inclusive, uma mensagem política com parte da letra: “A gente não sabemos escolher presidente. Inútil!”.

Depois vieram “Pelado”, “Nada A Declarar”, entre tantos outros clássicos. Erasmo voltou a entrar em cena com “Eu Me Amo”, dividindo os vocais com Roger. O Tremendão também cantou com desenvoltura outras escolhas do repertório do Ultraje, primeiro com a divertida “Mary Lou”. Depois, levou quase sozinho os versos de “Ciúmes”.

O “grande amigo” de Roberto Carlos não deixou de fora grandes sucessos da turma da Jovem Guarda, como “Eu Sou Terrível” e “É Proibido Fumar”, caprichando numa pegada mais rock’n’roll. Neste trecho a turma do Ultraje foi descansar fora do palco.

Para fechar o encontro, com todos no palco de novo, a melhor versão da conversa entre as gerações do rock nacional. Erasmo puxou a execução com “Festa de Arromba”, e depois o Ultraje emendou “Nós Vamos Invadir Sua Praia”.



Close sidebar