Martinho da Vila descarta live: “Não gosto”


© Fellipe Branco


Martinho da Vila está fora dos palcos desde que a pandemia do novo coronavírus tomou os holofotes do mundo. O cantor revelou que usou o tempo livre para produzir novas músicas e até escreveu um livro de contos.





VOCÊ VIU? Rosamaria Murtinho comenta casamento de 61 anos

Fábio Jr. divulga data de show no Espaço das Américas, em SP

Scott Disick anuncia venda de mansão reformada por R$ 30 mi

“Carinha de Anjo” pode ser reprisada em breve no SBT

“Eu procuro, às vezes, ligar para amigos, pessoas que não falo há algum tempo. O que tem me salvado é computador. Eu leio as coisas, fico escrevendo. A internet está sendo boa nesse período. Já pensou se essa pandemia tivesse acontecido antes da internet? Ninguém ia ter como se comunicar com as pessoas. Agora a gente pode até ver um parente que está distante. Tenho alguns netinhos e netinhas que ainda não vi pessoalmente. Mas consegui ver, falar com eles pela internet. Pelo vídeo. Um parente que está distante, no passado, ele ficava para lá. Agora a gente pode falar com um amigo que está na Alemanha, por exemplo, cara a cara. Não é legal isso?”, disse ele, em entrevista à “Quem”.

Apesar de considerar a internet uma grande aliada neste período da quarentena, o sambista explicou que não é a favor das lives. “Não gosto. Me pedem para fazer live, mas não faço. Não gosto. A atuação como intérprete é algo que tem resposta imediata. Se eu canto uma música que o público gosta, ele reage imediatamente, aplaude. Se a música é reflexiva, ele para e pensa, fica apreciando. Pela internet a gente não tem retorno. Não gosto disso, não”, afirmou.