Mastodon faz “esquenta” no Palco Mundo com rodízio de vocalistas


© Márcio Cassol/ Famosidades


Pela primeira vez no Brasil, o Mastodon levou ao Palco Mundo do Rock in Rio toda a reputação de principal banda pesada de sua geração, em título conferido pela revista “Rolling Stone”. Com um pouco de psicodelia e muito peso, cheio de riffs sujos, a banda americana fez um bom “esquenta” para quem esperava por Faith No More e Slipknot nesta sexta-feira (25).

No Rio, o Mastodon apresentou o show da turnê do álbum “Once More Round The Sun”, lançado em 2014. Comandada por Troy Sanders no baixo e voz, a banda ainda conta com Brent Hinds na guitarra, Bill Kelliher na guitarra e voz, além de Brann Dailor na bateria e também como vocal – todos músicos de extrema técnica.

Os barbudos da linha de frente do Mastodon começaram a apresentação com “Tread Lightly”, com Sanders no vocal. Depois a banda de Atlanta iniciou o rodízio no microfone, com Kelliher assumindo a liderança em “O.M.R.T.S.”.

Depois, quem diria, foi a vez do baterista Dailor fazer as honras como vocalista, em “The Motherload”. Tudo com uma linearidade impressionante de som, como se um único integrante respondesse pelo microfone o tempo inteiro.

Sem pausas para interações mais longas com o público, a atração do Palco Mundo praticamente emendou uma música na outra. Apesar de flertes com experimentalismo e o progressivo em álbuns anteriores da carreira, o Mastodon se ateve ao peso para a passagem pelo Rock in Rio.

A furiosa “High Road” apareceu justamente neste clima no repertório desta sexta, convidando o público brasileiro a bater cabeça na frente do palco, sem constrangimento. “Aqua Dementia” manteve a mesma pegada logo a seguir, em ritmo acelerado.

A impressionante performance de Bill Kelliher na guitarra e voz de “Halloween” levantou a galera em frente ao palco. Enquanto isso, Brann Dailor não deixava o ritmo cair na bateria um instante sequer.

Antes de “Ember City”, Troy Sanders fez uma pequena pausa para dizer que os brasileiros “têm o melhor festival do mundo”. O agradecimento veio mais uma vez em forma de peso e requinte técnico. O adeus para o público do Rock in Rio veio com “Blood and Thunder”, quando o guitarrista Brent Hinds fez um pouco do vocal no refrão – só faltava ele.



Close sidebar