Nada de inglês! Com canções em português, John Wayne e Project46 abrem o quarto dia de Rock in Rio


© Adriano Ishiba/ Frame


O quarto dia de Rock in Rio começou com muito som pesado e gritaria, nesta quinta-feira (25), no Palco Sunset. As bandas brasileiras John Wayne e Project46 dividiram o palco secundário. Além dos gritos, a apresentação ficou marcada pelo fato de os grupos cantarem suas canções em português. Algo pouco visto no cenário do metal.





O show foi mais animado pela empolgação do fiel público do metal do que propriamente pelas das bandas no palco. Primeiro veio o John Wayne, que começou com o discurso de seu vocalista, Fábio Figueiredo: “Hoje estamos aqui representando toda uma cena undergound. Mostrando para o mundo que existe metal de qualidade no Brasil”.



Se o grupo perde na questão do vocal, difícil de entender e com muita gritaria, ao menos ganhou no quesito empolgação por parte de Fábio, que mostrou bastante empolgação durante toda a apresentação. O público correspondeu bem. Mesmo com a sensação térmica acima dos 40º, a tradicional rodinha de “bate-cabeça” foi aberta logo no início do show e não parou mais.

A banda paulistana começou a apresentação com “Quatro Velas”, canção que faz parte do último disco do grupo, intitulado “Dois Lados, Parte I”. Deste mesmo álbum, ainda foi tocada a canção “Dois Lados, Parte I (Inferno)”. “Tempestade” e “Lágrimas” já fazem parte do disco “Tempestade”, lançado há três anos, em 2012.

Animado, Fábio se jogou na plateia e foi carregado pelos fãs. Ao finalizar a apresentação de seu grupo, o vocalista anunciou outro grupo de São Paulo, o Project46: “Sim, a união existe. Vamos chamar ao palco nossos irmãos do Project46”.

Já em cena, o Project46 mostrou a mesma animação no palco secundário. Apenas, talvez, com a diferença de o grupo ter se mostrado mais elétrico, com maior interação de todos do grupo com o público. Assim como Fábio Figueiredo, o vocalista Caio MacBeserra também se aproximou dos fãs. Além de ter mostrado um vocal mais limpo e fácil de entender.

“Atrás das Linhas Inimigas”, que faz parte do disco “Doa A Quem Doer”, lançado em 2011, foi a eleita para abrir a apresentação do Project46. Antes de começar “Se Quiser”, do mesmo disco, Caio fez um desabafo: “Há cinco anos diziam que esse metal não daria em nada. Hoje estamos no Rock in Rio. Se você quiser, chegará onde quiser”.

Para os fãs de metal foi um bom aperitivo. A maior novidade, porém, fica por conta apenas das canções em português mesmo e que marca um novo momento deste estilo no Brasil. Mas um estilo de metal que provavelmente agrade aos fãs jovens.