Rock in Rio: Com “versão ao vivo” de novo disco, Lenine faz show animado no Sunset


© Instagram


Quando Lenine entra em cena, geralmente o público sabe que terá um show de muita qualidade. Na terceira apresentação do Palco Sunset, na sexta edição do Rock in Rio, nesta sexta-feira (18), o cantor pernambucano levou ao espaço secundário do evento uma espécie de versão ao vivo do disco “Carbono”, que foi lançado neste ano.

Antes de subir ao palco, em tom de irreverência, o músico falou rapidamente sobre seu novo trabalho. “O ‘Carbono’ foi um pretexto maravilhoso que eu arrumei para reunir um pessoal que eu adoro”, disse ao Multishow.

“Castanho” e “O Impossível Vem Pra Ficar” abriram a apresentação. Mas como não podia deixar de ser, o músico incluiu em seu set list outro sucesso que marcou sua carreira. A canção “Paciência”, do álbum “Na Pressão”, levantou o público quando tocada. Com muito carisma, o cantor conseguiu manter o público animado durante todo o tempo.

Para lançar o novo disco, Lenine passou três meses gravando em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Salvador e Amsterdã, na Holanda. Com muitas participações de músicos de diversos estilos, o álbum de inéditas conta com 11 faixas.

No palco, Lenine se apresentou ao lado de todos os parceiros que gravaram “Carbono” ao seu lado. A mistura ao vivo agradou ao público. Antes da quarta música, os fãs já gritavam o nome dele. As duas músicas seguintes, “Cicatriz” e “Cupim de Ferro”, com o Nação Zumbi em cena, agitou o ambiente.

Na sequência foi a vez do holandês Martin Fondse e sua orquestra entrarem para marcar presença na bela apresentação. “A Causa e o Pó”, “Quede Água” e “Simples Assim” vieram logo em seguida. Todas elas do novo trabalho do pernambucano.

Outras três canções que estão em “Carbono” ganharam perfomances “Quem Leva a Vida Sou Eu”, “Grafite Diamente” e “O Universo na Cabeça do Alfinete”. Logo depois, “Do It”, sucesso de 2006 foi apresentado e cantado não só por Lenine, mas por todos na plateia.

Já no fim do show, em “Undo”, Lenine cantou, dançou, assim como seus parceiros do projeto, fechando muito bem a apresentação. Ao lado dos garotos da banda Dônica, Lenine conseguiu se colocar até aqui na lista das melhores apresentações do dia de abertura do festival.

O repertório foi muito bem escolhido, mesclando os novos hits com alguns sucessos do passado, além de “Cicatriz”, uma das principais músicas do grupo Nação Zumbi. Clima gostoso, show leve e interação muito afinada entre o cantor, os convidados e o público.



Close sidebar