Rock in Rio: Peso experimental do Deftones leva até Lenine ao Palco Sunset

Depois de uma vasta programação de tendências diferentes do universo da música pesada, o Palco Sunset do Rock in Rio viu a passagem dos americanos do Deftones. A banda do vocalista Chino Moreno não decepcionou os fãs na noite desta quinta-feira (24), com oferta de um barulho qualificado, num estilo comumente descrito como metal alternativo.

O experimentalismo faz do Deftones uma banda de sonoridade quase única dentro da família do barulho, com peso mesmo em músicas que parecem baladas, sem velocidade. Algo que incita curiosidade, como a do cantor Lenine, ídolo da MPB, que esteve como espectador da apresentação nesta quinta.

Além de Moreno, a formação atual também conta com o guitarrista Stephen Carpenter, o baixista Sergio Vega, o DJ Frank Delgado e o baterista Abe Cunningham. A apresentação desta quinta-feira no Rio serviu como parte das comemorações dos 20 anos de lançamento de “Adrenaline”, álbum de estreia de da banda.

Mesmo com o forte calor da primavera carioca, Chino Moreno foi ao palco com uma camisa de flanela de mangas compridas, com uma camiseta por baixo. O líder do Deftones não amarelou no comando da apresentação. Logo no começo, o vocalista contou até quatro em espanhol e pediu para a galera saltar com “Be Quiet and Drive”, música de excelente guitarra.

Em seguida, “My Own Summer” continuou agitando o público do Palco Sunset, com Moreno percorrendo o palco com bastante disposição. Na frente da grade, os fãs com mais conhecimento sobre a banda ajudaram o vocalista a entoar o refrão.

Depois a banda que fechou a programação do Palco Sunset demonstrou que pode também oferecer peso mesmo com um repertório sem velocidade, mais cadenciado, com a quase balada “Knife Party” como principal emblema.

Então Moreno não aguentou e se livrou de sua camisa de flanela, exibindo na camiseta de baixo a imagem do cantor Morrissey, um ícone do rock de uma praia bem distante. Talvez involuntariamente, o gesto mostre que o Deftones é uma banda diferente dentro do universo do peso.

No entanto, os americanos não tocaram desta vez “Say It Ain’t So”, cover de um clássico do rock alternativo, do Weezer, que costumava figurar no repertório em 2001, quando o Deftones se apresentou no Rock in Rio pela primeira vez.

De volta a 2015, o palco foi pouco para Chino Moreno, que se jogou na galera já no trecho final da apresentação. Depois, com a bandeira do Brasil nos ombros, levou “Change (In The House of Flies)” até o público. E, emendando, um pouco de rap com “Engine Nº 9”. O fim com o barulho em cima veio finalmente com “Headup”.




Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE