Rock in Rio: Quase aos 60, Al Jourgensen mostra poder vocal em show do Ministry


© Márcio Cassol/ Famosidades


Quando o Ministry entrou no Palco Sunset, no fim da tarde deste sábado (19), já era possível perceber que o show tinha tudo para ser empolgante. Provavelmente não seria possível ver o polêmico e veterano Al Jourgensen pulando na plateia ou algo assim, mas que os fãs do metal iriam curtir bastante todo o clima criado, ah, isso não era dúvida alguma.

Conhecido por ser um personagem bastante polêmico no mundo do rock, Al apareceu antes mesmo de entrar no palco. Prestes a iniciar o show, o cantor não se segurou e, durante uma entrevista ao Multishow, deixou de lado qualquer timidez e se mostrando simpático, resolveu encher o rosto da repórter de beijos.

E para completar todo o ambiente, o líder da banda entrou com um figurino para lá de peculiar. Com sua aparência um tanto parecida com a de Jack Sparrow – personagem de “Piratas do Caribe” -, Jourgensen mostrou que, mesmo no auge de seus 56 anos, a voz rouca continua com muita potência.

Logo no início da apresentação, durante a canção “Hail To His Majesty”, uma grande roda para o tradicional “bate-cabeça” foi aberta e mantida durante toda a música.

“Fairly Unbalanced”, uma das mais conhecidas músicas de trabalho da banda, foi bastante comemorada ao ser iniciada. “Lies Lies Lies”, do álbum “Rio Grande Blood”, de 2006, também ganhou performance animada e com boa interação entre Al e o público. A apresentação de “Waiting” também caiu no gosto dos fãs.

Depois de “Worthless”, que veio na sequência, o vocalista anunciou a entrada do convidado especial para o show. Burton C. Bell, vocalista do grupo Fear Factory. Aos 46 anos de idade, também demonstrou muita energia durante toda sua participação no palco secundário.

A primeira canção com Burton em cena foi “N.W.O.”, do álbum “Psalm 69: The Way to Succeed and the Way to Suck Eggs”, de 1992, e considerado um dos melhores discos da banda. E logo em seguida mais uma faixa deste trabalho foi apresentada: “Just One Fix”.

Ainda com Burton C. Bell fazendo dupla nos vocais, o show entrou em suas duas últimas músicas. “Thieves” e “So What” foram tocadas de forma bastante elétrica e conseguindo fechar o show de uma forma animada e com o público satisfeito. De um modo geral, um bom show. Nada de outro mundo ou que possa ser classificado como espetacular. Mas realmente uma apresentação pesada e com poder vocal do polêmico e veterano Al Jourgensen.



Close sidebar