Suricato faz show alto astral no Rock in Rio e tem boa “estreia” em um grande festival


© Marcio Cassol/ Famosidades


Abrindo o último dia de Rock in Rio, a banda brasileira Suricato se apresentou no Palco Sunset, na tarde desde domingo (27), na Cidade do Rock. Como convidado especial, o grupo do Rio de Janeiro recebeu Raul Midón, cantor e guitarrista norte-americano.

A banda carioca ficou mais conhecida no cenário nacional depois de participar do programa musical “SuperStar”, da TV Globo, no ano passado. Na estrada desde 2011, os rapazes já lançaram três discos, além de um single, que contou com a participação de Lulu Santos.

O show dos cariocas começou com o vocalista e guitarrista, Rodrigo Suricato, tocando um trecho de “Brasileirinho”, famoso chorinho, mas com uma “versão guitarra” e apenas como introdução. Em seguida puxou “Inseparáveis”, canção do primeiro disco, intitulado “Pra Sempre Primavera”, de 2012.

Antes da entrada do músico norte-americano, vieram duas canções do álbum “Sol-Te”, que saiu em 2014. A primeira foi “Eu Não Amo Todo Dia”. Antes de “Bom Começo”, o vocalista agradeceu: “Que sonho. É um sonho estar aqui nesse palco. A próxima música fica linda quando vocês participam”.

Ao final, Rodrigo fez mais um breve discurso e anunciou seu convidado: “Quando fomos convidados para o Rock in Rio, não sabíamos a dimensão de tudo isso. Agora, vamos presentar para vocês um dos maiores guitarristas. Pela primeira vez aqui no Brasil, recebam Raul Midón”.

Em seguida, foram duas músicas em sequência de Raul: “Don’t Hesitate” e “Don’t Take It That Way”. Antes de “Sittin’ in The Middle”, “Um Tanto”, do Suricato, ganhou performance. Animado, o norte-americano não deixou de interagir com o público: “Estou muito feliz por estar no Rio pela primeira vez”.

Levantando a plateia, a tradicional canção “Palco”, de Gilberto Gil, foi tocada antes de Midón fazer uma rápida apresentação solo com “Sunshine”. Na sequência, já sem Raul no palco secundário, o guitarrista Guilherme Schwab tocou o início de “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga, no didjeridu, instrumento de sopro do povo aborígene australiano. Em seguida, animando os fãs, o grupo tocou “Pro Dia Nascer Feliz”, do Barão Vermelho.

Com Raul de volta ao Sunset, foi a vez de “State of Mind”. “Talvez” e “Trem”, do último disco do grupo, fecharam a apresentação. Com bom público, a banda agradou com seu estilo musical agradável e para cima. Um bom show para o início de tarde, que terminou com os fãs exibindo papéis com o refrão da canção “Trem”: “You got be strong, and keep moving on”.



Close sidebar