“Dona”: Josiane tenta matar Téo com picador de gelo em motel


© Divulgação/TV Globo


Por causa do programa espião instalado no celular de Fabiana (Nathalia Dill), Téo (Rainer Cadete) encontrou a foto que mostra Josiane (Agatha Moreira) matando Jardel (Duio Botta). Arrasado, ele mostra o clique para a namorada, que se desespera.





VOCÊ VIU? Mãe de Jorge Fernando ainda não sabe da morte do filho

Após faltar ao Teleton, Silvio cancela gravações no SBT

Anitta anuncia projeto musical e possível despedida do Brasil

Felipe Neto detona Carlinhos Maia: “Não aprende com os erros”

“Você… tem essa foto? Como é que tem essa foto?”, questiona.

Téo conta ao seu amor que Zé Hélio (Bruno Bevan) o ajudou a conseguir a foto e Jô fica com raiva do ‘nerd’. Em seguida, ela tenta enrolar o fotógrafo, que exige uma resposta convincente.

“Tinha que ter confiado mais em mim. Jô, me diz sinceramente… como isso aconteceu? Como empurrou o Jardel pra baixo das rodas de um caminhão? Me diz. Eu ainda estou pensando no que fazer. Da sua resposta depende a atitude que vou tomar”, afirma.



“Téo. Eu sou inocente”, jura a garota.



Ele não entende e ela dá um jeito de enrolar o boy: “Eu… estava sob grande pressão. O Jardel tinha descoberto meu caso com o Régis, me ameaçou. Pediu dinheiro, quando eu dei, disse que queria mais… Eu tive um impulso… Eu tive um lapso, nem lembro do que aconteceu… quando vi, já tinha atirado o Jardel embaixo das rodas. Mas eu não estava consciente, eu não sei como tudo aconteceu”.

Jô aproveita que Téo está entrando na história para dizer que não matou Lucas e para fazer um pedido: “Por tudo que é mais sagrado, Téo… não me manda pra cadeia. Téo, você vai me mandar pra cadeia?”.

Ele diz que não pode mandar a namorada para a cadeia, pois a ama.

A cobrinha, então, afirma que está arrependida e sugere uma noite a dois, com direito a brinde para comemorar o momento de renovação.

Na portaria do motel, Josiane entrega a identidade falsa para a recepcionista, que nada percebe. Ela também solicita um balde para a bebida e um picador de gelo. Quando tudo está pronto, os dois vão para a cama.

Enquanto o namorado a enche de beijos, Jô pega o picador de gelo e golpeia Téo uma, duas… várias vezes! Satisfeita com o ‘trabalho’, ela limpa as suas digitais dos objetos que tocou e comenta, antes de abandonar o rapaz completamente ensanguentado: “Adeus, Téo. Agora não existe mais prova de que eu matei o Jardel. Parabéns, Jô. Você se livrou”.

Será que Téo vai resistir?