“A Lei do Amor”: Helô implora para Fausto retirar queixa


  • © Ramon Vasconcelos/Divulgação/Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo
  • © Divulgação/TV Globo


O fardo da pobreza e do desespero é muito pesado para Jorge (Daniel Ribeiro), pai de Helô (Isabelle Drummond), suportar. Desnorteado com a doença da esposa, o desempregado tenta assaltar com uma arma de brinquedo a fábrica de Fausto (Tarcísio Meira), local onde ele mesmo já teve um emprego. Jorge é rapidamente detido pelos seguranças e levado para a delegacia superlotada de São Dimas.





Helô vai atrás do pai e pede para visitá-lo. Chegando lá, descobre pelo delegado quais são as condições da cadeia. A realidade é dura e a jovem não consegue sequer enxergar o pai pelas grades. Para piorar, de repente, os prisioneiros começam a ficar muito agitados e dão início a uma rebelião!

“Vai embora, filha! Fica longe desses animais!”, é tudo o que ela escuta antes de ser levada pelo investigador.
Desesperada com as condições, Helô implora para seu pai ser tirado dali, mas o oficial é categórico: “Quem pode tirar seu pai é quem deu a queixa!”.

Ao presenciar Jorge (Daniel Ribeiro) em uma cela superlotada, a moça perde qualquer pudor ou orgulho e vai até a sala do empresário, onde implora de joelhos:
“Só o senhor pode livrar o meu pai da cadeia! A gente tá passando necessidade, minha mãe tá muito doente, ele ficou desesperado! Perdoa ele, doutor Fausto”.

Sem sentir qualquer compaixão por aquele apelo, o empresário diz que o desempregado errou ao ameaçar uma funcionária, mesmo que a arma fosse de brinquedo: “A intenção era de verdade! Eu sinto muito pela sua mãe, mas, se depender de mim, seu pai vai mofar na cadeia!”.