João Pedro comemora personagem gay de “Malhação”


© TV Globo


De forma antecipada em razão da pandemia do coronavírus, a novela “Malhação – Toda Forma de Amar” termina nesta sexta-feira (3). Apesar disso, João Pedro Oliveira, que interpreta o Serginho na trama, revelou que está muito grato por ter dado vida a um personagem negro, gay e periférico.





VOCÊ VIU? Cleo Pires detona Rodrigo Branco após comentários racistas

Felipe Prior está na mira da Record para “A Fazenda”

Globo confirma permanência de Fernanda Lima na emissora

Sabrina Sato desabafa sobre o fim do “Domingo Show”: “Triste”

“Aprendi de uma forma muito profunda sobre respeitar as diferenças dos outros. Eu era muito incisivo e achava que as pessoas que não se atentavam para as questões sociais e não eram tão próximas das lutas de minorias não precisavam dialogar comigo”, revelou o ator de 20 anos em entrevista para a “Quem”.

“Hoje eu já consigo trazer esse diálogo de forma mais natural e procuro entender sempre o quanto somos diferentes uns dos outros. Aprendi isso com o Serginho, por ele refletir sempre sobre as coisas e ser muito sensato nas opiniões que ele tem”, afirmou.



Sobre a decisão da emissora em antecipar em cerca de 15 capítulos o final da trama, João Pedro aprovou a medida de segurança. “Foi uma medida muito responsável da empresa zelar pela saúde de todos”, elogiou. Com o fim da novela, ele tem a sensação de missão cumprida e se sente representado na televisão.



“Histórias como as do Serginho fazem com que nós negros nos sintamos representados cada vez mais no audiovisual de uma forma geral. E pelo retorno que recebo dos telespectadores eu consigo mensurar a importância que o Serginho tem socialmente. É um carinho e respeito tão grande sobre o meu trabalho que me deixa muito feliz. Me sinto realizado”, ressaltou.