Anna Muylaert é a homenageada do “Persona” neste domingo (29)


© Divulgação/TV Cultura


O “Persona” deste domingo (29), vai ao ar em edição inédita com Anna Muylaert. Diretora, roteirista e produtora referência no cinema nacional, é muito premiada desde os primeiros trabalhos, também participou de grandes sucessos da TV Cultura. Na edição, conta detalhes sobre sua carreira, fala sobre a representatividade feminina no audiovisual e outros assuntos. Com apresentação de Atilio Bari e Chris Maksud, o programa é exibido a partir das 21h, na TV Cultura.





VOCÊ VIU? Relembre os clubes e os gols de Maradona na carreira

Cauã Reymond viverá usuário de drogas em “Um Lugar ao Sol”

Ícaro Silva narra audiobook de Harry Potter no Brasil

Confira o desfecho de Dominique, em “Salve-se Quem Puder”

A diretora e roteirista relata que em sua infância, quando tinha por volta de 8 anos, sempre quis ter uma câmera pois se encantava pelo registro de imagens. “Eu achava que se você filmasse, a pessoa ficaria viva pra sempre”, completa. Já em sua adolescência, era frequentadora assídua do Cine Biju, na Praça Roosevelt em São Paulo, as produções de cinema de arte a deixavam fascinada.

Quanto a sua passagem pela TV Cultura, ela conta: “A TV Cultura foi muito importante na minha formação, por causa do departamento pedagógico daí”. Na época em que permaneceu na emissora, participou da equipe de criação de programas como ‘Mundo da Lua’ (1991) e ‘Castelo Rá-Tim-Bum’ (1995), além da produção de telefilmes. Anna complementa dizendo que para produzir para crianças há uma obrigatoriedade na intenção, em querer fazer a história para ajudar, esclarecer, jogar luz, chamar atenção.

A cineasta, que tem a presença de mulheres muito forte em suas produções, afirma que não existe um equilíbrio ainda ao falar sobre mercado audiovisual e a quantidade de homens e mulheres na área. Além disso, ela acredita que isso não engloba uma questão de luta pela representatividade, mas sim, pelos bons filmes que são produzidos e a profissionalização das mulheres. A partir disto, o reconhecimento e a busca por igualdade e presença feminina se constitui.