Intérprete do palhaço Bozo revela que sofreu assédio sexual de diretor da Globo


© Divulgação/SBT


Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo entre as décadas de 1980 e 1990, fez uma declaração bombástica a respeito do comportamento de um diretor da TV Globo.





O artista, que hoje está com 62 anos e virou pastor itnerante, alegou ter sofrido assédio sexual de um profissional da emissora carioca, no início de sua carreira.

“Esse diretor global, que já morreu, queria que eu transasse com ele em troca de um papel. Nada contra, mas não sou gay. Eu o xinguei, o acusei de usar seu cargo para manipular as pessoas e ele me disse que eu nunca mais entraria na Globo. Ali, prometi que bateria na audiência da emissora um dia. Cinco anos depois, eu virei o Bozo e batia a audiência da Globo”, relembrou ao “Notícias da TV”.

Ao ser questionado acerca do ano em que o fato ocorreu, Barreto desconversou e afirmou que o uso de drogas afetou sua memória.



“Não sei. Fumava muita maconha, mas muita maconha mesmo. Naquela época, meu cérebro deixou de funcionar para datas.”



Sem papas na língua, Arlindo Barreto ainda revelou que fez muitas participações em produções da pornochanchada.

“Cansei de correr pelado pelas ruas de São Paulo. Fazia comédia nu, mas cansei daquilo. Ser ator é fácil, chorar é fácil. Tony Ramos é sempre Tony Ramos nas novelas. O difícil é fazer rir”, completou.