Paola Carosella explica saída da TV e desafios na pandemia


© Divulgação/CNN Brasil


Nesta sexta-feira (12), às 22h30, o programa de entrevistas da CNN apresentado por Luciana Barreto e participações de Thaís Herédia, Lia Bock e Débora Freitas recebe a empresária do ramo da gastronomia Paola Carosella. Após seis anos como parte da equipe de jurados do programa “MasterChef”, da Band, Paola pediu demissão da emissora em janeiro para se dedicar aos seus próprios negócios.





VOCÊ VIU? Irmão mais velho de Roberto Carlos morre, aos 90 anos, no RJ

Tiago Leifert aprova performance de Carla Diaz: “Bem demais”

Rita Cadillac rebate Perla Paraguaia e defende Chacrinha

Marina Ruy Barbosa revela o desejo de ter filhos

“Neste momento minha empresa precisa de meu tempo e dedicação integral”, explicou a dona do restaurante Arturito e do La Guapa Empanadas Artesanais e Café, um pequeno café de empanadas e doces latinos artesanais.

Na entrevista, realizada no estúdio da CNN, em São Paulo, Paola Carosella também falou sobre os problemas enfrentados durante a pandemia e revelou que decidiu manter a grande maioria de seus colaboradores afastados do trabalho para se preservarem do coronavírus. “70% dos meus funcionários ficaram em casa na pandemia”, destacou.

Paola revelou, ainda, que sofreu preconceito no início da carreira e que os donos dos restaurantes preferiam homens como chefs de cozinha. “Muitos restaurantes não me aceitaram por ser mulher”, disse.



Reservada com relação a sua vida pessoal, Paola Carosella revelou que 2020 foi o ano do seu encontro com a maternidade e afirmou que fez terapia de casal com o marido Jason Lowe, fotógrafo britânico que é especialista em imagens do universo gastronômico. “A pandemia trouxe uma conexão com minha filha e me apresentou à terapia de casal”, afirmou antes de confidenciar que “a proximidade da pandemia foi uma prova de fogo”.



A ex-integrante do programa “MasterChef” também falou sobre o prazer de estar na cozinha. “Saber cozinhar nos faz independentes. Ter tempo para comer e cozinhar é um pequeno prazer”, disse.

Paola fez um importante questionamento sobre a alimentação no Brasil e nos países subdesenvolvidos. “O que é saudável em um país com desigualdades?”, alertou.

Sobre as oportunidades aos mais vulneráveis no mercado de gastronomia, a empresária afirma que, em seus negócios, o objetivo é trabalhar com produtores que ainda estão crescendo. “Buscamos valorizar trabalho dos pequenos produtores”, destacou.