“Persona” homenageia Aílton Graça neste domingo (20)


© Divulgação/TV Globo


Palhaço, ator, coreógrafo e sambista de carteirinha, Aílton Graça é o convidado do “Persona” deste domingo (20). Com apresentação de Atilio Bari e Chris Maksud, a entrevista inédita vai ao ar às 21h, na TV Cultura.





VOCÊ VIU? Famosos mais bem pagos do ano: Kylie lidera; Neymar é o 7º

Zilu fala sobre fim do casamento com Zezé: “Fui internada”

Xuxa afirma que não terá mais empresário a partir de 2021

Netflix inicia as gravações de “Temporada de Verão”

O artista começa o programa contando como era sua vida quando criança, no bairro de Americanópolis, zona sul de São Paulo. “Eu sempre fui uma criança muito inquieta, hiperativa, gostava de construir coisas. Cavava no barranco para fazer um forno de barro, onde a gente colocava as madeirinhas e falava ‘tem um forno ali mãe para fazer feijão e arroz doce’, que era meu doce predileto”, comenta Aílton.

O primeiro grande trabalho de repercussão do ator foi no cinema, no papel do Majestade do filme “Carandiru”. “Foi uma dureza, porque eu tinha muita paixão por esse livro do Drauzio Varella. Nascido e criado na periferia de São Paulo, esse livro era uma grande referência para a gente entender algumas coisas que aconteciam na periferia. Os personagens eram muito próximos da nossa realidade, do que a gente vivia”, diz Gracia.

Apaixonado por samba e Carnaval, Aílton conta que já desfilou em 12 escolas em dois dias de Carnaval e, atualmente, é presidente da primeira escola de samba de São Paulo, a Lavapés Pirata Negro. “Eu tinha um sonho. Durante muitos anos a minha família organizava o cordão carnavalesco na Bahia – Folia de Reis, Bumba Meu Boi. Quando eles vieram para São Paulo montaram a escola Independente do Jardim Miriam, na zona Sul, e eu frequentava com eles e gostava bastante. Foi aí que eu tive contato com as grandes escolas de samba”.



A homenagem a Aílton Gracia conta ainda com os depoimentos de Cida Almeida, Sergio Penna, Hélio de La Peña, Pedro Vasconcelos, Leopoldo Pacheco, Roberto Lage e Marco Antônio Rodrigues.