Repórter atende apelo de menina e se surpreende com agressão


  • © Youtube
  • © Globo News
  • © Divulgação
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © RICTV
  • © TV Globo
  • © Twitter
  • © Divulgação/TV Globo
  • © SporTV
  • © BBC
  • © SBT
  • © SBT
  • © Band
  • © SBT
  • © Rede TV!
  • © RedeTV!
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © RedeTV!
  • © TV Globo
  • © 13 News
  • © Record
  • © Band
  • © TV Globo
  • © GloboNews
  • © Twitter
  • © Globo News
  • © TV Globo
  • © Fox Sport
  • © MSNBC
  • © KTLA
  • © AgNews
  • © TV Globo
  • © Programa "Vendredi Tous Es Permis"
  • © BBC
  • © GloboNews
  • © Manuela Scarpa e Rafael Cusato/Brazil News
  • © GloboNews
  • © Montagem Famosidades - Instagram
  • © GloboNews
  • © GloboNews
  • © Divulgação
  • © Divulgação
  • © Twitter
  • © TV Globo
  • © YouTube
  • © SBT
  • © TVN
  • © TV Network Ten
  • © Divulgação/TV Globo
  • © BandNews
  • © BandNews
  • © CNN
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © SBT
  • © TV TEM
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © Panamericana Televisión
  • © Band
  • © AgNews
  • © TV Globo
  • © Band
  • © Rede TV!
  • © TV Mirante
  • © TV Globo
  • © Band
  • © TV Globo
  • © TV Globo
  • © GloboNews
  • © Fox News


Uma equipe da TV Aratu, afiliada do SBT na Bahia, passou por uma situação um tanto inusitada na última sexta-feira (29), durante a gravação de uma reportagem. Ao entrevistar uma garotinha que fazia apelo por uma cirurgia para a avó, a repórter e os câmeras foram expulsos da casa pelo ex-marido da mulher.





VOCÊ VIU? SBT assume multa de Leão Lobo na Gazeta

“Quando ele chegou, eu realmente fiquei com medo dele fazer alguma coisa com ela só pela questão de nossa equipe estar ali. Lógico que eu fiquei com medo dele fazer alguma coisa comigo, saí correndo, mas meu maior medo era quando eu saísse dali, ele fizesse alguma coisa com ela”, contou a jornalista Mariana Sena, emocionada, à coluna “NaTelinha”.

O drama assustou a jovem não só por conta da situação humilde da família, mas principalmente por ter descoberto que a senhora com que ela conversava, sofria agressões recorrentes do homem, evangélico fervoroso, com quem foi casada por 30 anos e, há dois, estava separada.

Apesar de muitos considerarem a imparcialidade na área algo fundamental, a repórter não se arrepende de ter denunciado o caso, que já está sob cuidados de um advogado.



“A gente sempre acha que vai conseguir ser imparcial, mas existem situações que fogem o nosso controle. É muito chocante. É uma pessoa que não tinha instrução nenhuma. Quando a gente vê a ignorância do outro, a precariedade mesmo, do precisar… Eu fazer uma matéria de uma pessoa que precisava de uma cirurgia, mas na verdade ela precisava de apoio, de carinho, era uma pessoa que precisa ser vista. E a única pessoa que enxergava ela era a neta. Não vou deixar isso morrer. Meu trabalho como repórter foi contar a história, mas meu trabalho como ser humano é acompanhar a história”, completou.